Pilates para fibromialgia
23 agosto 2018 |
Compartilhe:

Limitações funcionais decorrentes da fibromialgia e do envelhecimento implicam em mudanças diretas no bem-estar e qualidade de vida.

A manutenção da independência física, psíquica e social, frequentemente impactadas pela fibromialgia, é importante na preservação da autonomia funcional e qualidade de vida destes pacientes, que são fatores importantes na manutenção de habilidades motoras e prevenção da dor.

Sabe-se que dentro dos tratamentos alternativos para a fibromialgia incluem exercícios físicos diários e, entre eles, o Método Pilates destaca-se com uma boa opção para a doença, uma vez que são exercícios de baixo impacto para a articulação.

E tem como objetivo o alongamento da musculatura global, melhora da postura e fortalecimento dos músculos.

O Pilates, por se tratar de um método que oferece trabalho de resistência (molas/gravidade), embasado em uma filosofia de consciência corporal que busca harmonia entre corpo e mente, ele tem sido alvo de estudos científicos como atividade física para o paciente com fibromialgia.

Um dos motivos para justificar o Método Pilates na fibromialgia é proporcionar ao doente o aumento de neurotransmissores como a serotonina e o aumento de hormônios como o GH (hormônio do crescimento), além de outras alterações sistêmicas que contribuem diretamente para a melhora da dor, da qualidade do sono, da fadiga, da ansiedade e de outros sintomas.

Outro benefício do método é a possibilidade de socialização, contribuindo por influenciar positivamente alguns aspectos psicológicos.

 

Caroline Cabreira – Fisiterapeuta

Reabilitar – Rua Getúlio Vargas, 877, sala 106

Fone: 98421-1051