Saúde
Climatério e a secura vaginal
31 março 2018 | Saúde
Compartilhe:

Com o aumento da longevidade e da qualidade de vida, muitas mulheres mantém a vida sexual na menopausa, mas a secura vaginal acabada atrapalhando. Atrofia urogenital é o termo que os médicos utilizam para descrever os efeitos na vagina da baixa hormonal após a menopausa. O tecido que reveste seu interior perde espessura, elasticidade e lubrificação e predispõem as mulheres a infecções no canal vaginal, na uretra e na bexiga. Mais seca, a vagina fica mais suscetível a coceira e a sensação de queimação, condições que tornam a relação sexual dolorosa. A penetração pode chegar a ferir os tecidos da parede vaginal e provocar sangramento, problema que os ginecologistas diagnosticam com o nome técnico de dispareunia.

A secura vaginal, bem como os demais sintomas associados à menopausa podem surgir até dez anos antes da última menstruação. Inicialmente de forma leve, eles ficam a acentuados a partir dos 45 anos, em média. O desaparecimento dos folículos ovarianos aumenta por volta dessa idade. O fenômeno, denominado de atresia folicular, dá origem a um circuito de erros na produção hormonal, levando a picos de alta quantidade e de baixa abrupta de hormônios em circulação.

O desaparecimento dos folículos e a flutuação nos níveis hormonais reduz em até 50% a chance de ovulação a cada ciclo e são os principais responsáveis pelos sintomas clássicos da aproximação da menopausa: irregularidade do ciclo e do fluxo menstrual, ondas de calor e de suores e ressecamento da mucosa vaginal. Eles atingem 80% das mulheres, em algum momento da transição. A maioria desses sintomas tem duração limitada, em geral de quatro a cinco anos a contar do início da perimenopausa, com exceção do ressecamento da mucosa vaginal, cujo efeito é duradouro.

A aplicação local de cremes é suficiente para restaurar a normalidade da mucosa vaginal e o seu PH normal e conter infecções. Entre os cremes mais indicados pelos médicos estão os produtos à base de hormônios. O uso de gel ou creme vaginal não hormonal do tipo K-Y fornece alívio temporário para o ressecamento da vagina e o desconforto na relação sexual, não tratando o ressecamento.

Para melhor avaliação e tratamento adequado, faça uma avaliação com um ginecologista.

 

Dra. Grazieli Sassi

Professora titular da Universidade de Passo Fundo

Título de especialista em Ginecologia e Obstetrícia –TEGO

Pós graduação em Ultrassom ginecológico e obstétrico – EURP

Pós graduação em Videohisteroscopia – FELUMA

Atendimento na Rua Flores da Cunha, 900, sala 05 – Ibirubá

Contato pelos fones 3324-3704 ou 98424-3704