Corsan explica ações e melhorias no sistema de abastecimento de água
4 agosto 2018 |
Compartilhe:

Com mais de 70 mil metros de tubulações, cerca de ¼ das tubulações do sistema de distribuição de água de Ibirubá ainda são antigas, de fibrocimento e amianto. Essa estrutura se encontra principalmente no centro da cidade, nas ruas Sete de Setembro, General Osório e Mauá. Este é o motivo dos seguidos rompimentos e vazamentos pela cidade – o que gera interrupção no fornecimento de água.

Para diminuir essas ocorrências, uma das únicas coisas que a Corsan pode fazer é trocar as tubulações, explica a gerente Lia Denise Tiemann. Conforme a Prefeitura pavimenta novas ruas, as tubulações vão sendo trocadas, caso da Avenida Brasil e da Rua Tiradentes, entre outras.

Em 2017 foram substituídos 3 mil metros de tubulações, trabalho que deve prosseguir este ano. “Porém, não pode se dizer que essas novas tubulações não irão se romper. Pelo fato de estarem embaixo da terra, elas estão sujeitas a toda a movimentação da rua, com carros e caminhões passando por cima todos os dias”, esclarece Lia.

É comum após ser feita a abertura da rua para a troca de um cano, ou para a aplicação de uma nova ligação, demorar alguns dias para ser fechado o buraco. Como Ibirubá não tem uma usina de asfalto, é preciso aguardar uma empresa de fora para o serviço, que tem critérios próprios para a execução.

Já quando a rua tem calçamento, a reposição deve ser feita imediatamente pela Prefeitura, e as demoras geram reclamações. Por isso, desde março, a responsabilidade passou a ser da Corsan.

Ao contrário do que se pensa, não há mais vazamentos no inverno. Ocorre que, devido às chuvas, os reparos podem demorar, ocasionando mais transtornos à população.

Quatro novos poços

Em alguns bairros da cidade – como o Pôr do Sol, Jardim, Floresta e Hermany –, era comum a falta d’água no verão. Por esse motivo, estão sendo perfurados novos poços para o bombeamento de água. Um deles fica no Bairro Progresso, ao lado do campo do São José, destinado a abastecer os futuros loteamentos próximos a ERS 506. Na Rua Castanhal também foi aberto um poço, ao lado do reservatório, que deve entrar em funcionamento ainda esse ano para abastecer aquele quadrante da cidade.

O último poço que está sendo aberto fica na Rua Diniz Dias, logo abaixo do hospital Annes Dias, ao lado de outro já existente. Este tem demonstrado problemas em sua estrutura.

Um quarto poço ainda não começou a ser perfurado. Ele se localizará no Bairro Industrial.

A Corsan também pede para que a população use os meios de comunicação para fazer suas reclamações e denúncias de vazamentos e problemas. O contato pode ser feito pelos fones 0800-646-6444 ou 9916-4193, e nas redes sociais. Há até um aplicativo para contato e outras funções.