Cristiane da Silva, uma campeã exemplar
11 fevereiro 2019 |
Compartilhe:

Cristiane da Silva tem 45 anos e há mais de 15 treina kickboxing. A prática consiste em um grupo de artes marciais e esportes de combate em pé baseados em chutes e socos. Na última semana, de 1º a 3 de fevereiro, a atleta participou da Copa América Brasil open de kickboxing, em Foz do Iguaçu (PR), representando os munícipios de Ibirubá e Quinze de Novembro.

O torneio conta com cerca de 15 países do Continente Americano. A equipe de Cristiane é composta por onze lutadores, que juntos trouxeram para casa cerca de 26 medalhas, seis dela.

Para a conquista destas medalhas, a atleta conta que foi necessário muito treino e uma alimentação regrada. A atleta perdeu 8 kg em duas semanas, passou por três dias de desidratação, para estar em forma. Uma das principais dificuldades enfrentadas pela equipe foi o alto custo para participação, além de gastos como, viagem, alimentação, hospedagem e inscrições. Isto por que mesmo tendo uma carreia vitoriosa, a atleta conta com o auxílio de poucos patrocinadores.

“O custo é alto, e o retorno monetário é baixo, tenho poucos patrocinadores, e com o que ganho invisto na carreira, tenho que me manter e viver”, salienta Cristiane.

Atualmente ela dá aulas em uma academia de Muay Thay, Muay Thay fitness e Kickboxer (Academia Forma Total), além de trabalhar no CRAS de Quinze de Novembro, em um projeto social com crianças e adolescentes do munícipio.

O primeiro dia de lutas de Cristiane não foi fácil, ela fraturou o dedão do pé esquerdo, e mesmo assim se manteve firme lutando durante os três dias da competição. Cristiane participou de seis modalidades de luta, obtendo três ouros e três pratas.

Com a agenda lotada, a multiatleta (participa de competições de levantamento e arremesso de peso, luta e de corridas) ainda participará de três corridas em Soledade, Marau e Caxias do Sul, representando os munícipios já citados, o Estadual de kickboxer e o Mundial na Argentina, aonde disputará o cinturão.

“Parar? Lutar é um vício para mim, vou continuar até conseguir mudar a situação dos jovens de rua, eu vivi isso, sei como é, e digo, o esporte, o esporte é cultura ele muda, ele transforma, ele mostra para os jovens que existe outro caminho, programas sociais são importantes sim, e fazem a diferença sim, eles diminuem a criminalidade, diminuem o número de usuários de drogas. Precisamos de apoio e incentivo”, salienta.

Cristiane começou a lutar aos 30 anos para reduzir seu peso – de 110kg, ela foi aos atuais 64kg. A atleta é uma ex-dependente química, se mudou para Ibirubá e hoje tem quatro filhos. “Sou a prova de que o esporte transforma, minha vida se transformou, eu tive a oportunidade de recomeçar”.

A atleta agradece imensamente seus patrocinadores, em especial ao fisioterapeuta Patrick Stoffel, o vereador Marcos Petry e ao médico Silvio Guareschi, aos amigos e familiares por todo apoio e carinho.

Ela precisará de ajuda para continuar lutando e participar das próximas lutas. Quem puder ajudar pode contatar pelo (54) 99166-8716. O apoio é fundamental para que a atleta possa continuar na prática esportiva, levando o nome da região para o mundo.