Agricultura
Farsul continua na defesa do crédito agrícola e seguro rural
20 maio 2019 | Agricultura
Compartilhe:

Na quarta e quinta feira, 8 e 9 de maio, o ibirubense Elmar Konrad participou como presidente da Farsul de audiências e reuniões relacionadas ao crédito rural e ao seguro agrícola, com diretores do Banco do Brasil.

Sob coordenação de Elmar, foi debatida a problemática em torno da safra 2018/2019. A aproximação entre saldo de entradas e saídas deixa os produtores em alerta, como explica: “Houve um descasamento entre os custos de produção e o preço dos produtos, o que pode gerar dificuldades nos pagamentos dos custeios e investimentos. Com a soja ao preço de R$63,00, são necessários 40 a 43 sacos para cobrir os custos em uma produtividade média de 55 sacos no Rio Grande do Sul. É preciso lembrar que as despesas do produtor não se destinam apenas a financiamentos”, pondera.

A conjuntura econômica preocupa os produtores: “Nós estamos numa situação totalmente antagônica em relação aos demais anos. O câmbio atual traduz altos custos para a próxima safra, os insumos  não baixaram e o bushel está com o preço mais baixo dos últimos 15 anos. Isso faz com o que o preço hoje esteja muito abaixo do que no plantio da safra”, avalia Konrad.

As alíquotas de custo de seguro estiveram na mesa de debates. A diferença dos percentuais praticados no Rio Grande do Sul e em outros estados foi discutida. Nas últimas safras, o estado não tem mais demonstrado o risco de anos anteriores. Principalmente pelo investimento em biotecnologia, a produtividade da soja gaúcha está equiparada com a brasileira. “Isso traduz uma condição mais favorável no que diz respeito a uma equiparação nas alíquotas de custos do seguro agrícola, para não ficarmos com a atual situação em que o Rio Grande do Sul paga praticamente duas taxas em relação a outros estados produtores”, analisa Konrad.