IFRS e AL promovem seminário lembrando a relação entre a Educação e o desenvolvimento
14 julho 2017 |
Compartilhe:

 

Esta manhã foi de mobilização no Instituto Federal Campus Ibirubá. Em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado, o IF promoveu um grande debate sobre “A Educação no Desenvolvimento Regional”, reunindo centenas de pessoas na Casa de Cultura Osvaldo Krames. Nas próximas semanas, eventos similares ocorrerão por todo o Estado.

Antes, alunos percorreram as ruas centrais com faixas e cartazes, gritando palavras de ordem como “Menos corrupção, mais Educação”, chamando a atenção da comunidade para a questão. O seminário iniciou por volta das 10h.

O primeiro a se manifestar foi o presidente da Assembleia Legislativa do RS, deputado Edgar Pretto (PT). Ele destacou que a bandeira da Educação não é a luta de um partido, mas de toda a sociedade. Disse que é obrigação de todos os líderes políticos se posicionarem contra ou a favor as PECs (Propostas de Emendas Constitucionais) que cada vez mais levam à precarização do ensino em universidades e institutos federais.

O presidente da Comissão Parlamentar em Defesa dos Institutos Federais no RS, deputado Nelsinho Metalúrgico (PT) destacou que no Brasil existem cerca de 640 instituições federais de ensino, com um milhão de alunos beneficiados com o ensino gratuito. No RS, especificamente, são 42 campi do Instituto Federal, o que reúne mais de 50 mil alunos.

Conquista da sociedade em risco

“A PEC 95 congelou os gastos públicos nos setores primários em 20 anos, e isso atingiu em cheio a educação. Além disso, outras propostas aprovadas também contingenciam os recursos no ensino técnico, sucateando a educação e impedindo até mesmo o término de obras em curso. Os Institutos Federais foram uma conquista, que agora está ameaçada pelos cortes orçamentários. É preciso envolvimento dos alunos, pais, lideranças políticas e da comunidade em geral para garantir a continuidade do IFRS. Pois, infelizmente, a realidade é essa: o ensino técnico de qualidade corre sérios riscos”, disse o deputado Nelsinho.

O Reitor Geral do IFRS, Osvaldo Casares Pinto, que tem 40 anos de serviços na rede federal de ensino, destacou que o sucesso em sua carreira foi oportunizado pelo ensino gratuito, e que essas mesmas oportunidades devem continuar para os jovens de hoje. “Os Institutos Federais representam um papel de grande relevância social na educação do país. A criação dos Institutos foi democrática, discutida em toda a rede federal, com o objetivo de diminuir a desigualdade social e alavancar o desenvolvimento do país”.

IFRS: ensino gratuito e de qualidade

“O INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) possui uma ferramenta de avaliação dos cursos no país chamada IGP (índice Geral de Cursos) onde as notas máximas são 4 e 5, consideradas excelentes. O IFRS obteve a média 4”, lembrou o reitor Osvaldo, que prosseguiu: “E nossa qualidade de ensino não é somente comprovada pelo IGP, mas também pelos excelentes resultados de nossos alunos apresentam no Enem e também premiações a nível nacional que eles recebem em diversos eventos de projetos de pesquisa e extensão. Porém, políticas recentemente adotadas prejudicam este belo trabalho que vem sendo desenvolvido, justamente em um momento de expansão e consolidação da rede”, disse o Professor Osvaldo.

Governo precariza cortando o orçamento

“Além do congelamento na Educação com a PEC 95 e da diminuição de 10% nas verbas de custeio e 30% nas verbas de investimento, estamos recebendo um valor defasado, o equivalente ao que recebíamos há cinco anos. Isso totaliza R$ 6,6 milhões a menos em investimento na Educação, o que vai na contramão do crescimento do número de alunos nos Institutos Federais, que aumentou de 14 mil para 20 mil desde 2015. Estamos conseguindo fazer mais com menos, mas esse estrangulamento, esse momento delicado, exige mobilização. E, por isso mesmo, foi criada uma frente parlamentar em defesa dos Institutos Federais na Assembleia Legislativa do RS, e, nesta semana, também foi criada essa mesma frente no Parlamento Federal, contando com mais de 300 assinaturas de parlamentares”, reiterou o reitor do IF.

Presenças denotam apoio político local

Também se pronunciaram o prefeito de Abel Grave, a reitora da Unicruz Patrícia Dall Agnol, a reitora da Uergs, Arisa Araújo da Luz;a presidente do Legislativo Dileta Pavão das Chagas, a Diretora Geral do IFRS, Migacir Trindade Duarte Flôres, o presidente do Comaja Volmar Telles do Amaral e o presidente do Corede, Roberto Visoto. A Professora Migacir foi bastante aplaudida pelos alunos durante sua fala em defesa da instituição, o que demonstra o carinho dos alunos – pessoal e pela sua dedicação ao ensino.

No encerramento, palestrou Eliezer Pacheco, titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação no ano em que foram criados os Institutos Federais, em 2008. Ele fez uma breve reflexão sobre o momento conturbado que vive a Educação no país, que ainda sofre as consequências do golpe parlamentar vivido há cerca de um ano.

A educação pública no contexto político

“O congelamento de investimentos é um atentado à democracia e às políticas públicas. Este governo tem uma política de destruição das universidades públicas e principalmente dos institutos federais. Comprovadamente, o IFRS apresenta índices de qualidade de ensino superiores ao dos Estados Unidos. No último Enem, o governo ocultou os resultados dos alunos dos Institutos Federais, obviamente porque, se viram que estávamos entre os melhores, fica mais difícil a tarefa de acabar com nossa missão, que está sendo bem sucedida. Vamos lutar pela nossa sobrevivência e defender uma Nação ameaçada por um governo ilegítimo, que trabalha diariamente na destruição de conquistas importantes de décadas. O governo não tem condições de se manter, e em 2018 vamos escolher nossos novos governantes através de quem tem autonomia, que é o povo, através de eleições diretas”, disse Eliezer no encerramento do evento.

Eliezer Pacheco falou sobre o futuro dos Institutos Federais

Reitor geral do IFRS, Osvaldo Casaris Pinto

Deputado Nelsinho Metalúrgico preside a Frente em Defesa dos IFRSs

 

Presidente da ALRS, Edgar Pretto, e a diretora do IFRS Ibirubá, Migacir Trindade Duarte Flôres

 

Casa de Cultura recebeu bom público