Investigação aponta que “fogo amigo” matou policial durante abordagem em Cruz Alta
19 maio 2018 |
Compartilhe:

Naurio Adão Garcia Viana, 46 anos, foi morto em 21 de agosto do ano passado ao tentar interceptar um carro roubado na RS-342

A 1ª Delegacia de Polícia de Cruz Alta concluiu investigação sobre a morte do sargento da Brigada Militar Naurio Adão Garcia Viana, ocorrida durante uma abordagem policial em 21 de agosto de 2017, na RS-342. Segundo o delegado Josuel Muniz, que investigou o caso, o Instituto-Geral de Perícias (IGP) concluiu “que a vítima foi atingida, provavelmente, por disparo efetuado por um dos colegas que compunham a guarnição”.

Viana trabalhava no Comando Rodoviário da BM em Cruz Alta. No dia em que foi morto, os policiais tentavam interceptar um carro roubado na cidade de Santo Ângelo.

Dois caminhões foram colocados atravessados na rodovia para tentar impedir a passagens do veículo, mas os bandidos conseguiram passar por um vão do acostamento. O policial militar, que estava ao lado de um dos caminhões, foi baleado na cabeça e morreu na hora.

O delegado Muniz explica que, apesar não confirmar que o disparo foi “fogo amigo”, o laudo ressalta a dificuldade que o motorista do veículo roubado teria de disparar, em movimento, com uma arma longa.

Na abordagem, um dos policiais utilizava uma espingarda calibre 12, mesmo projétil que atingiu e matou o sargento. O agente que seria o autor do tiro – e que não teve a identidade divulgada – foi indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e vai responder ao processo no âmbito da Justiça Militar Estadual.

O motorista do veículo roubado, identificado como Leomar Rempel, 34 anos, foi indiciado por tentativa de homicídio doloso. Ele foi preso em setembro do ano passado, após assaltar um estabelecimento em Bozano, no noroeste gaúcho.

 

18/05/2018 – 22h03min

GaúchaZH

Foto: Polícia Civil / Divulgação