Lavouras: umidade prejudica culturas de inverno
5 agosto 2018 |
Compartilhe:

O clima na segunda metade de julho, chuvoso e com baixas temperaturas, não favoreceu as culturas de inverno, em especial a do trigo. Com as culturas suscetíveis à incidência de doenças, se torna necessário o uso de tratamentos fúngicos preventivos de maneira mais constante, orienta a Emater, em seu último informativo conjuntural semanal.

Na região Central e nos Campos de Cima da Serra, as chuvas impediram a semeadura do trigo. Estima-se que 3% da área se encontre em floração, fase extremamente suscetível ao excesso de umidade e a chuvas constantes.

A cultura da canola apresenta condições irregulares de evolução. Nas regiões Celeiro e Alto Jacuí, as lavouras se encontram com excelente desenvolvimento e qualidade superior à safra do ano passado. No Planalto Médio e região Nordeste, a falta de sol, alta umidade do ar e as temperaturas medianas estão causando atraso no desenvolvimento.

A cultura da aveia branca se desenvolve de forma rápida para o estádio reprodutivo. Aumenta a incidência de doenças foliares nas folhas baixeiras. Há dificuldade de aplicar fungicidas em muitas áreas, em decorrência da baixa luminosidade associada ao largo tempo de molhamento foliar das plantas, trazendo preocupações com a ferrugem.

Bovinocultura de leite

Nas regiões de Frederico Westphalen, Erechim e Passo Fundo as chuvas dos últimos meses favoreceram as pastagens, aumentando assim o número de áreas em condição de pastejo. Produtores com bom planejamento apresentam resultados muito satisfatórios em relação à produção de leite devido à grande oferta das pastagens anuais de inverno, que tem alto grau de digestibilidade e qualidade nutricional.

Na região de Soledade, o destaque fica com os investimentos em pastagens visando o sistema de produção de leite à base de pasto, que tem sido a forma mais técnica e economicamente viável para a bovinocultura de leite na Agricultura Familiar. De qualquer forma, as áreas de pastagem bem manejadas do ponto de vista de adubação e manejo animal (com pressão de pastejo adequadas) e sob sistema de pastejo rotativo têm proporcionado oferta satisfatória de forragem.

Foto: Sistema FAEP (Reprodução)