Geral
Lei determina como proceder na colocação de flores no Cemitério
29 outubro 2017 | Geral
Compartilhe:

 

Tapera – Com a proximidade do Dia de Finados, cresce a preocupação quanto a utilização de vasos e flores no Cemitério, devido ao grande índice de mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Na última amostragem, a Vigilância Sanitária apontou que de um índice de 10, Tapera apresenta índice “8” de infestação do inseto. De acordo com fiscal sanitário, José Roberto Rech, na próxima amostragem que já está sendo realizada, esta graduação deve se manter ou aumentar.

Todo o trabalho que vem sendo feito no combate ao mosquito, há anos, continua um desafio para as autoridades de saúde, e a presença do mosquito representa um grande risco para a população.

Para prevenir, facilitar para as famílias que limpam os túmulos e para não prejudicar o comércio de vasos e flores, o Executivo Municipal alterou a lei que gera medidas permanentes de prevenção contra a dengue. Poderão ser colocados vasos e flores nos túmulos, com algumas restrições:

  • Vasos de plásticos devem ser furados nas laterais e fundo, e preenchidos com areia ou pedra brita até a borda, sem a embalagem que envolve o vaso;
  • Flores artificiais poderão ser utilizadas, com exceção dos botões de rosas, cujo formato facilita o acúmulo de água.

A população deve ficar atenta para estes cuidados. A Secretaria de Saúde espera que este 2 de novembro seja mais seguro com relação à proliferação do Aedes no cemitério.

Está permitida a coleta de água da chuva, desde que colocada uma tela na entrada e saída de água da caixa, lacre da tampa e a periodicidade das pastilhas de cloro. O cultivo das bromélias também está permitido, desde que também tenha-se o cuidado necessário.

Atualmente, devido a exigência da Vigilância Sanitária, os túmulos estão limpos e sem flores.

Trabalho de limpeza e manutenção foi intenso na semana