Política
Quem é Fufuquinha, deputado que passa a chefiar a Câmara por uma semana
29 agosto 2017 | Política
Compartilhe:

Maranhense chegou a segundo vice-presidente da Casa apadrinhado por Eduardo Cunha, a quem chamava de “papi”, de acordo com colegas

O presente de aniversário do deputado André Fufuca (PP-MA), que no último domingo (27) completou 28 anos, chegou nesta terça-feira: a partir de hoje, o maranhense assume a presidência da Câmara durante os oito dias em que Michel Temer deixará o país em viagem à China.

Fufuca nasceu em Santa Inês, no Maranhão. De família tradicional na política, André Luiz de Carvalho Ribeiro herdou o apelido do pai, Fufuca Dantas (Fufuca é uma derivação de Francisco), que é prefeito de Alto Alegre do Pindaré. Por isso, no Maranhão, o Fufuca deputado é chamado de Fufuquinha.

Fufuca Dantas (ao centro) quando foi diplomado ao cargo de prefeito ao lado do filho, Fufuquinha (à direita)

Foto: Reprodução / Facebook André Fucuca

O jovem parlamentar destacou-se como um fiel escudeiro do hoje deputado cassado (e preso pela Lava-Jato) Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Aliados do Planalto o consideram “verde” para tocar as sessões e avisam que nenhum assunto importante será discutido em plenário, incluindo a reforma política.

As circunstâncias que entregaram temporariamente a função para um representante do Centrão são apenas protocolares. Com a viagem do presidente da República nesta terça-feira, Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa, vai assumir o Palácio do Planalto. O sucessor de Maia, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), não vai ocupar a vaga porque estará na comitiva de Temer para o encontro de líderes do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Outro ex-aliado de Cunha, o deputado Hugo Motta (PMDB-PB) compartilhou o registro de uma ida do grupo a um jogo do Flamengo em 2015, com Fufuca, o então presidente da Câmara e André Moura (PSC-SE), hoje líder de Temer no Congresso

Foto: Reprodução / Instagram @hugomottapb

Logo, a cadeira será ocupada pelo segundo vice-presidente, Fufuquinha. A função de vice-presidente da Câmara, aliás, é limitada a examinar recibos de despesas médicas dos deputados. Mas o cargo é cobiçado por outro motivo — dá direito a nomear diversos assessores sem concurso.

Fufuquinha ganhou destaque ao se indispor com o também deputado Júlio Delgado (PSB-MG) durante o depoimento de Cunha no Conselho de Ética, em maio do ano passado. Na ocasião, Fufuquinha havia sido recém-nomeado para o colegiado, movimento que foi considerado suspeito por aqueles congressistas que enxergavam nele um soldado a serviço do peemedebista.

Delgado afirmou que Fufuquinha chamava Cunha de “papi” nos corredores do Congresso. A reação do parlamentar é sucesso no YouTube (assista abaixo). Ele aparece chamando Delgado de “moleque” e diz que nunca usou a expressão “papi” porque ela seria “afeminada”.

Apesar das negativas, o furor em defender Cunha nunca foi disfarçável. Em plenário, ele chegou a comparar a acusação contra Cunha à de Tiradentes, herói da Inconfidência.

Fufuquinha votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e contra o afastamento de Temer. No último caso, passou a sessão inteira postado atrás de Maia. A exposição fez com que o deputado virasse meme na internet. No mais compartilhado deles, o deputado foi comparado ao novo Zacarias, interpretado pelo ator e comediante Gui Santana, no remake de Os Trapalhões.

Filho prematuro e “ex-Menudo”

Fufuquinha gosta de contar que nasceu prematuro, com sete meses. Aos 21 anos, ainda estudante de Medicina, ele se tornou o deputado estadual mais jovem do país, eleito pelo PSDB. Em 2014, foi eleito deputado federal pelo PEN, com 56.879 votos. Em 2016, trocou o PEN pelo PP, um dos principais partidos do centrão.

Quando foi eleito deputado estadual, integrou um grupo de jovens deputados apelidado de “Menudos”. Ele era o Menudo mais novo. Como não tinha um grupo forte que servisse de guarda-chuva no Maranhão, assim que chegou à Câmara procurou o apadrinhamento de Cunha, o que lhe rendeu, mesmo sendo novato, a vice-presidência da Câmara.

Embora tenham ligações históricas, as famílias Fufuca e  Sarney andam com a relação estremecida. Fufuquinha tem tentado uma aproximação com o atual governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B).

A manobra tem rendido problemas para o deputado. Ele tem sido vaiado por simpatizantes de Dino quando participa de algum evento com o governador. Os militantes não perdoam o fato de ele ter votado pelo afastamento de Dilma.

Fufuquinha ao lado de Temer, quando o peemedebista foi alçado a presidente interino com a saída de Dilma em 2016

Foto: Reprodução / Arquivo pessoal

Conhecido pelas bochechas rosadas e pelos fartos cabelos pretos e franjas, Fufuquinha superou a alcunha de “Menudo”, mas na Câmara Federal também é alvo de brincadeiras de parlamentares. Depois de elogiar o colega ao jornal O Globo, descrevendo-o como um “político agregador”, Efraim Filho, líder do DEM na Câmara, admitiu:

— Essa bochecha dele com o cabelo de índio chamam a atenção. Vira e mexe alguém manda um meme no grupo.

Por: Estadão Conteúdo e Zero Hora

Foto em destaque: Luís Macedo/Agência Câmara

Original em http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2017/08/quem-e-fufuquinha-deputado-que-passa-a-chefiar-a-camara-por-uma-semana-9882399.html