Rede estadual de ensino entra em greve por tempo indeterminado
9 setembro 2017 |
Compartilhe:

Em Ibirubá, até agora somente a Escola Edmundo Roewer aderiu à paralisação

Professores da rede pública estadual decretaram greve da categoria por tempo indeterminado na última terça-feira (5). A decisão foi aprovada durante assembleia geral realizada no Largo Glênio Peres, centro da capital gaúcha.

A principal reivindicação da classe é o fim do parcelamento dos salários, pois, neste mês, a primeira parcela é a mais baixa desde 2015, de apenas R$ 350 – e do 13º salário, ainda retroativo a 2016. Os docentes relatam muitas dificuldades financeiras. Muitos precisam refinanciar as dívidas junto ao Banrisul.

A categoria também cobra a retirada de projetos em tramitação junto à Assembleia Legislativa, entre eles o que altera a aposentadoria de servidores públicos, o que muda a data de pagamento do salário e o que extingue a licença prêmio e adicional por tempo de trabalho.

Em nota, o governador José Ivo Sartori falou sobre o assunto: “Embora compreenda os motivos, lamento muito essa decisão. Ela não ajuda em nada a resolver o problema. Pelo contrário, só agrava a situação dos alunos e de suas famílias, especialmente dos mais humildes”. Na verdade, o Governo Sartori segue uma política neoliberal, de estado mínimo, o que resulta na precarização do trabalho e graves consequências nos serviços públicos. O maior exemplo disso é a segurança; na área da educação, o prejuízo será verificado somente no médio e longo prazo.

Em Ibirubá, apenas uma escola estadual das cinco existentes aderiu à greve: o Instituto Estadual de Educação Edmundo Roewer. Na frente do educandário, estão expostos cartazes feitos pelos próprios alunos, em apoio à decisão dos professores.