Semana da Enfermagem e Dia do Enfermeiro
18 maio 2020 |
Compartilhe:

Dia 12 de maio comemorou-se mundialmente o Dia da Enfermagem e o Dia do Enfermeiro. No Brasil, além do Dia do Enfermeiro, entre os dias 12 e 20 de maio, comemora-se a Semana da Enfermagem, data instituída em meados dos anos 40, em homenagem a dois grandes personagens da Enfermagem no mundo: Florence Nigthingale e Ana Néri, enfermeira brasileira e a primeira a se alistar voluntariamente em combates militares.

Os profissionais da saúde tornaram-se indispensáveis no combate ao coronavírus. Na linha de frente da pandemia, arriscam suas vidas a fim de salvar as próximas.

Em homenagem aos enfermeiros e enfermeiras, o Jornal da Integração traz hoje, o depoimento de profissionais da região.

Caroline Ahlert de Oliveira- Lagoa dos Três Cantos

“Me formei em 2000 na Fundação Universidade de Passo Fundo como Técnica de Enfermagem. Desde então trabalhei no Hospital Municipal de Victor Graeff e em 2013 assumi o concurso público de Lagoa dos Três Cantos, onde atualmente trabalho na Unidade Básica de Saúde.

Nunca em minha vida imaginei passar por uma situação dessas, estamos em meio a uma guerra contra um inimigo perigoso e invisível. Cada dia é uma nova expectativa do que iremos enfrentar. Todas essas incertezas que cercam o coronavírus é o que nos causa tanta angústia e pavor.

A enfermagem atua na linha de frente nessa pandemia. Precisamos mais do que nunca promover saúde, divulgar informações e trabalharmos juntos nessa luta, só assim teremos alguma chance. Nós somos uma categoria majoritariamente feminina, a maioria são mães, e temos medo de irmos pra casa e acabar contaminando nossos filhos e familiares. Estamos trabalhando com cuidados redobrados, equipamentos de proteção não faltam, até os horários de trabalho foram montados de uma maneira que evite a maior proliferação do vírus.

Mesmo angustiados e muitas vezes com medo, trabalhamos pensando sempre no melhor para a nossa comunidade.

Para mim, a enfermagem é pura e na sua simplicidade, a arte de cuidar das pessoas, é um dom, uma profissão que só é escolhida por vocação e por pessoas com muito amor no coração. É se doar sempre, é colocar a sua dor no bolso para ajudar na dor do próximo, é sorrir quando muitas vezes se tem vontade de chorar… Enfermagem é amor, é amar.

O momento atual é delicado, o Covid-19 não é uma crise política, não pode ser levado na brincadeira, precisamos de união. Lavar as mãos, usar álcool gel e máscaras, praticar o isolamento social são algumas das alternativas que mais deram resultados até o momento. Fiquem em casa, para que nós, assim como os outros serviços essenciais, possamos fazer a nossa parte. Busquem informações com os serviços de saúde, para que logo voltemos á normalidade. Se cuidem e protejam quem vocês amam.”

Simone Gheno- Tapera

“Formei-me em 2002, pela UPF. Trabalhei dois anos em Espumoso, depois, fiz o concurso em Tapera e passei.

Assumi neste ramo da enfermagem em dezembro de 2005 e desde então, venho trabalhando pra minha comunidade. Hoje atuo junto ao ESF Jacob Bonato na Vila Paz. Esse ano está sendo atípico e vai ficar na história devido a essa pandemia mundial que está ceifando muitas vidas. Estamos todos apreensivos, pois, não sabemos muito a respeito.

Todo o conhecimento científico que nos é passado, repassamos a população, mas, como é uma doença recente, muitos estudos ainda estão sendo realizados. Por isso, o melhor caminho é a prevenção. As pessoas devem evitar o contato social desnecessário, cuidar da higiene das mãos e dos ambientes. Nós profissionais da saúde, recebemos equipamentos de proteção individual extras para nossa proteção e dos pacientes também. Em fase inicial, não apresenta sintomas, então, devemos considerar que qualquer pessoa está potencialmente contaminada.

O sentimento de ansiedade e medo está presente no dia a dia, pois, tememos não só pela nossa saúde, mas, como de nossos familiares. Embora com todo o risco que corremos não me vejo desempenhando outra profissão, sinto que nasci para cuidar, proteger e salvar. Adoro minha profissão e estou dia a dia obtendo mais conhecimentos para poder oferecer meu trabalho com cada vez mais qualidade.

A enfermagem se tornou uma profissão de destaque diante dessa pandemia. Perdemos alguns soldados nessa batalha, mas peço a Deus todos os dias que nos proteja e abençoe nossas mãos para que possamos auxiliar na passagem dessa pandemia que, com certeza, veio para ensinar as pessoas a serem mais humanas e menos egocêntricas.”

Noeli Huppes-Selbach

“Iniciei o curso de enfermagem em 2001 na ULBRA Carazinho e minha formatura foi em janeiro de 2005. Em 2006 senti a necessidade de buscar mais foi quando com mais colegas de trabalho frequentamos o Curso de Especialização em Administração em Saúde Pública com Ênfase em Ação Comunitária em Cruz Alta Extensão de UnC de SC. Hoje trabalho na Saúde Pública de Selbach, junto a Unidade Básica de Saúde Dr. Gilberto Wiesel. Ali formamos uma equipe, onde todos trabalham com o mesmo objetivo de bem-estar do ser humano.

Em relação os dias de hoje frente esta Pandemia enfrentamos desafios. Sabemos que trabalhar com o sofrimento humano, num momento delicado como estamos vivendo, exige um olhar diferente. Acolhemos as pessoas oferecendo de forma segura, todas as orientações necessárias. Esta é uma doença que tem componentes de transmissão que podem ser evitadas por EPI (equipamento de proteção individual). E nós Enfermeiras, devemos usar todos os equipamentos para proteger a nós e contribuir que a transmissão do vírus não se propague. Selbach, um município de pequeno porte, vamos reunir todos esforços para que possamos isolar e proteger nossa comunidade deste vírus que mata. Com ajuda de todos, observando o isolamento e usando os meios de proteção vamos vencer este inimigo poderoso. Tudo o que começa um dia terá fim.

Ser enfermeiro se resume em poucas palavras: cuidado, técnica, carinho, ética e dedicação aos pacientes, promovendo sempre qualidade de vida. Amo o que faço muitas vezes enfrentando dificuldades, mas é uma doação, sempre com alegria e pronta para oferecer ajuda. Enquanto profissional, tenho muito orgulho de poder participar, de contribuir com o bem-estar da vida das pessoas.

A enfermagem desde o início carrega a concepção de ajuda, e está na linha de frente em meio esta crise causada pela corona vírus, está mais exposta a qualquer doença. Mas com coragem temos certeza da nossa importância nesse momento. Fazemos a diferença e contribuiremos para a melhora das pessoas e fazemos o povo entender a gravidade deste vírus.”