Ibirubá
Vereadora pede tombamento de casa da família Fredrich
30 abril 2020 | Ibirubá
Compartilhe:

Uma das indicações lidas durante a sessão 004/2020 da Câmara de Vereadores de Ibirubá, ocorrido no dia quarta-feira, 22 de abril, chamou a atenção. A agora suplente de vereadora Glaci Grave de Campos (DEM) chamou a atenção, ela solicita que a casa das Famílias Braun e Fredrich e também uma das casas mais antigas do município, localizada em frente ao palco da Praça Central, tenha o pedido de tombamento histórico.

O tombamento geralmente é utilizado com a intenção de proteger bens que possuam valor histórico, artístico, cultural, arquitetônico, ambiental e que, de certa forma, tenham um valor afetivo para a população.

Acompanhe a indicação na íntegra:

“Que o Executivo Municipal, através do setor competente, utilize os meios necessários para embargar temporariamente a propriedade do Sr. Ernesto Fredrich, na Rua Getúlio Vargas, nº 758, no centro desta cidade, tendo em vista o sítio arqueológico existente no subsolo daquele local.

Justificativa: O ato se justifica devido à resistência do proprietário quanto à entrada dos geólogos e arqueólogos de duas renomadas universidades federais (UFRGS e UFSM) interessados em estudar as estruturas e desenvolver um projeto turístico ao município, tendo em vista o clamor público.

Conforme amplamente divulgado pela imprensa, inclusive nacional, através de uma pesquisa histórica que vem sendo realizada há cinco anos pelo jornalista ibirubense Clóvis Messerschmidt, existem dezenas de testemunhas oculares que relataram a existência de um búnquer e de túneis no referido lugar, que conforme muitas provas e evidências são relacionadas à Segunda Guerra Mundial. Na propriedade citada, também existe uma casa centenária desocupada há vários anos, que lamentavelmente está deteriorando com a ação do tempo e desleixo do dono. Vale lembrar que se trata do imóvel mais antigo do Município, que deve ser tombado historicamente e sediar o museu, assim poupando os cofres públicos do pagamento de altos valores de aluguel. A indenização ao proprietário, bem como os custos da restauração do imóvel e do projeto turístico dos túneis podem ser angariados junto ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) através de projetos das universidades federais envolvidas, as quais não cobraram a realização desses trabalhos”.

A casa em questão, segundo moradores, é a mais antiga da cidade. Foi construída no início da colonização, a partir de 1899. Por volta de 1920, ela sediou a primeira farmácia da cidade: Farmácia Braun, tendo como fundador o Sr. Alfred Braun, farmacêutico, alemão nato, pai do Dr. Frederico Ernesto Braun. Foi moradia das famílias Braun e Fredrich, além de farmácia, diretório do PDT, consultório médico dos doutores Arlindo Fredrich e Frederico Ernesto Braun. Atualmente é propriedade do filho do Dr. Arlindo Fredrich, sobrinho do Dr. Braun.