Visão Regional: 30 anos escrevendo a história da região
8 abril 2019 |
Compartilhe:

Há 30 anos, completados dia 29 de março de 2019, o Visão Regional publicava sua primeira edição que trazia, já na capa, informações sobre a safra de soja, produção leiteira, investimentos e relatos do dia a dia da comunidade. A capa transpareceu justamente a sua missão, depois definida: “Cumprir com Idoneidade e Responsabilidade a missão jornalística, contribuindo para o desenvolvimento da região de forma integrada para uma melhor qualidade de vida das comunidades”.

Esse objetivo vem sendo cumprido. O semanário apresenta à comunidade as inovações da região, projetos, avanços, sempre buscando o equilíbrio e a verdade como valores essenciais. Mas é difícil falar sobre si, tal a complexidade deste trabalho.

A primeira edição do Visão saiu, de fato, dia 29/031989, com iniciativa do empresário ibirubense Carlos Celestino Peukert. Trabalhava no Jornal a equipe da Rádio CBS FM: Raul Pantaleão, Nana Roesler e Nelva Thiesen. Porém, o veículo assumiu circulação ininterrupta somente a partir de 15 de abril de 1990, sob administração da J.L. Publicidades Ltda, de Lisiane e José Luis e Dorsdt.

Então, há sempre uma controvérsia, porque as edições foram contadas somente a partir de 1990, na gestão da J.L. Em maio de 2000 a empresa passou para Gustavo Brenner, que assumiu um ano após. A fim de resgatar a integridade da história do Jornal, mais tarde ele decidiu considerar o ano de 1989 como válido para a data de fundação.

O VR então permaneceu por cerca de dez anos sobre a batuta de José Luis Dorst e está há quase 20 sob o comando de Gustavo Brenner. O momento mais importante foi vivido na virada 2003/2004, quando a editora J.L. incorporou a carteira de assinantes e anunciantes do Jornal da Integração e do Jornal Cidades, ambos de Tapera, ampliando a circulação para aquela região e atingindo uma circulação de 5 mil exemplares semanais, o que encontrava então paralelo apenas em centros maiores como Passo Fundo, Cruz Alta ou Carazinho. O público leitor foi estimado em 20 mil pessoas.

Nesses 30 anos, o jornal tem mostrado foco e determinação, superando obstáculos com naturalidade e, principalmente, mantendo um espírito empreendedor e o senso por justiça.

Não é fácil manter qualquer empresa jornalística no mercado ao longo de décadas, e a imprensa – ou a informação, mais amplamente falando – vive um período de significativa transformação. Comunicar com precisão e qualidade é um dever que cumprimos incansavelmente.

O jornalismo é idealizado como o dispositivo de acesso do cidadão à máquina pública. Nesse sentido, além de oferecer informações e mostrar acontecimentos, o Visão também fomenta debates e rememora os fatos. Isso mantém a população de olhos abertos para enxergar a realidade e também promove a emancipação das consciências. É um papel único, que faz a missão do jornal permanecer viva ao longo das décadas, apesar das mudanças no suporte físico e da popularização de outras mídias. É uma das profissões mais nobres.

Com o apoio do Visão, as pessoas se fortalecem juntas, enquanto exercem seu direito à verdade. Nos tempos de hoje, informação é poder. Por isso, compartilhar o que sabemos e investigamos faz do nosso trabalho uma constante satisfação, além de uma enorme responsabilidade.

O marco de 30 anos não foi alvo de campanhas publicitárias ou de festas ruidosas. No entanto, a discrição não se confundiu com esquecimento. A singeleza da celebração não traduziu a importância do Jubileu de Pérola, pois as lembranças ficam reservadas a esta edição.

Nada mais justo do que este aniversário ser ovacionado e comemorado. Afinal, manter-se por 30 anos no jornalismo não é apenas edições de papel: é a vida das pessoas, muito do que raramente chega às manchetes.