Nutricionista fala sobre consumo do café e tira dúvidas sobre a bebida
26 abril 2021 |
Compartilhe:

14 de abril, Dia Mundial do Café. A data homenageia uma das bebidas mais adoradas do mundo: o café. Seja carioca, pingado, cappuccino, americano ou expresso, o ele é, sem dúvidas, uma paixão mundial.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), o produto é consumido por nove entre dez brasileiros com mais de 15 anos. Atualmente, o Brasil é considerado o maior produtor e exportador de café do mundo, seguido do Vietnã e da Colômbia.

O Jornal da Integração convidou a nutricionista Eduarda Werlang para falar sobre os benefícios dessa bebida, bem como o cuidado necessário em relação ao seu excesso.

Benefícios:

O consumo moderado de café (duas a quatro xícaras ao dia) exerce efeito na prevenção de doenças como: depressão, cirrose hepática, doença de Alzheimer, asma, diabetes tipo 2, cálculos biliares, câncer de intestino, alguns tipos de dores de cabeça e doença de Parkinson. Previne, também, o consumo de drogas e álcool, além de melhorar a atenção e desempenho mental.

Por quê?

O café contém vitaminas, sais minerais e antioxidantes que combatem os radicais livres e a cafeína, que é a principal amina ativa do café. Ela é absorvida rapidamente e chega ao cérebro em cerca de 20 minutos após a ingestão, onde age aumentando a influência do neurotransmissor dopamina.

Malefícios:

  • A cafeína é um estimulante e pode interferir no sono e causar insônia;
  • O consumo exagerado da cafeína pode causar sintomas como dor de cabeça, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular, efeito diurético e perda de minerais e vitaminas, causando enfraquecimento do organismo;
  • Possui uma relação direta com a doença fibrocística que é precursora do câncer de mama;
  • Pode causar irritação da pele e outras doenças dermatológicas como verrugas e psoríase, além de favorecer o aparecimento de pólipos intestinais;
  • Provoca aumento da secreção de ácido clorídrico (azia constante) no estômago, levando ao aparecimento de gastrite e úlcera;
  • Seu uso em excesso durante a gravidez é desaconselhado devido ao aumento do risco de aborto e más formações congênitas.

O café é uma bebida estimulante e não se pode exagerar na quantidade: esse é o segredo. Cada pessoa deve buscar a dose diária de café que a satisfaz. Lembre-se de que o café é uma bebida diurna, que ajuda nas atividades do dia, mas seu consumo deve ser reduzido no período da noite, para não afastar o sono. A primeira xícara deve ser tomada na primeira hora após o despertar, e as demais, com intervalos mínimos de duas horas.