Especial Colono e Motorista Tapera
Agricultores falam sobre a vida no campo e o incentivo aos seus filhos
26 julho 2021 | Especial Colono e Motorista Tapera
Compartilhe:

Samara Henn M. é filha dos agricultores Nivaldo Henn e Eria Leane Henn, e casada com Evandro desde 2012. O casal possui uma filha de três anos, Sara Luiza, e um filho de 16, José Henrique, que já assume a ordenha e manejo do gado leiteiro. Os agricultores residem em Linha Coronel Gervásio, em Tapera. A atividade leiteira era uma atividade dos pais de Samara, além do cultivo de uma área de terra em épocas de verão e inverno.

Na lida do leite, Samara e Evandro resolveram em 2014 investir na canalização da ordenha para melhorar a qualidade de vida e de produção. Antigamente, a extração do leite era feita em balde, ao pé. Conforme o casal, “procuramos incentivar nossos filhos a participar porque a mão de obra tem que ser familiar para diminuir os custos”.  A tecnologia está presente no campo na atualidade, e por isso, conforme Samara, torna-se mais fácil incentivar o interesse dos filhos e, até mesmo, das famílias mais jovens para permanecer no campo.

Na propriedade do casal de agricultores, além do galpão de maquinário, também há uma horta e galinheiro para consumo próprio de vegetais, verduras, ovos e carne. Há, ainda, um açude de 1,5 hectare para irrigação de pastagem e para criação de peixes para consumo próprio.

O dia a dia de Samara e Evandro começa com a lida do leite. O filho, José Henrique, ordenha as vacas, prepara o trato e o manejo da pastagem. Evandro ajuda o sogro, Nivaldo, e Samara, por sua vez, fica com os afazeres domésticos e cuidando da filha, Sarah. A comercialização é feita através do leite entregue para a cooperativa Santa Clara, e já na parte de grãos, pelo cultivo de sementes da Cotrisoja.

O casal ressalta que a rotina do interior não mudou com o início da pandemia, pois o trabalho é familiar. Segundo os agricultores, o impacto da covid-19 está na cidade, pois os cuidados devem ser redobrados – a família faz o que é necessário no ambiente urbano e, sem demoras, retorna à zona rural. Um desafio citado pelos produtores é o aumento do preço dos alimentos e do custo de produção, como com rações e insumos.

Eles concluem com uma mensagem: “Para nós, é muito gratificante tirar da terra e da vida no campo o sustento para nossos filhos. Mostrar para eles que o que se planta, se colhe, e que é preciso cuidar das plantas e dos animais para que possamos ter o alimento, a remuneração para investir em nosso lar, na educação e no lazer. E cada um pode contribuir com um pouco, com o pouco que pode, tanto no trato dos animais quanto na lida da lavoura. Trabalho familiar é dar um pouco de si para garantir o sustento de todos da família.”