Saúde Tapera
Chega a primavera, e com ela, as alergias
27 setembro 2021 | Saúde Tapera
Compartilhe:

Por: Tauana P. da Costa- Jornalista do Jornal da Integração

A primavera iniciou-se na quarta-feira, dia 22. Conhecida como a estação das flores, é um dos períodos mais belos do ano, mas também, é a época mais crítica para quem sofre com alergia. O sistema respiratório é o principal alvo devido ao pólen que se desprende das flores. É comum neste período ver muitas pessoas com problemas de rinite, bronquite, sinusite e asma.

A rinite, que é a inflamação e irritação da mucosa nasal, por exemplo, é a mais comum. Conhecida como doença crônica, alguns hábitos podem ser adotados para que os sintomas sejam amenizados.

Além da mudança climática e do pólen das flores, na primavera ocorre também um aumento na quantidade de fungos, ácaros e bactérias no ambiente por conta da temperatura e umidade da estação, fator que potencializa muito os problemas alérgicos. Até mesmo as doenças que não são respiratórias, como conjuntivite e dermatite alérgica, também aumentam nesta época do ano.

É interessante ressaltar que os sintomas das doenças alérgicas lembram muito os de resfriados e gripes, e algumas pessoas costumam dizer que passam o ano inteiro resfriadas, mas na verdade, a causa são as alergias.

As doenças respiratórias alérgicas podem ser controladas com o tratamento correto e amenizadas com cuidados básicos no dia a dia.

Quem destaca sobre alergias é a médica Marília Sonda, natural de Espumoso e que atende na ESF Bernardo João Mattei (Posto da Zona Sul) de Tapera. É formada pela UFFS/Passo Fundo e atua com carga horária de 40h semanais.

Os sintomas da rinite alérgica são congestão nasal, crises de espirros, prurido e coriza nasal, tosse seca, hiperemia e prurido ocular. “Podemos suspeitar do diagnóstico de rinite alérgica sazonal quando os sintomas acontecem apenas em uma determinada estação, que é o exemplo da primavera, com os sintomas desencadeados pela exposição pólen”, comenta ela.

A rinite perene é causada pela exposição durante o ano todo a alérgenos inalados em ambientes internos, como por exemplo, fezes de ácaros, baratas e pelos de animais, e os sintomas não se restringem a apenas uma época do ano. O tratamento para a rinite alérgica sazonal e perene geralmente é o mesmo.

De acordo com Marília, recomendam-se, como prevenção, tentativas de remoção ou evitação de alérgenos – ácaros e baratas, por exemplo, para a rinite perene e para a rinite sazonal ou refratária grave, imunoterapia de dessensibilização. Os tratamentos farmacológicos de primeira linha são corticoides nasais e anti-histamínicos orais associados a descongestionantes.

Nas últimas semanas, ela atendeu muitos pacientes com o quadro típico de rinite alérgica. “Uma recomendação simples e importante para aliviar os sintomas é a lavagem nasal com soro fisiológico. Muitas vezes esquecida, ela ajuda a mobilizar secreções nasais espessas e a hidratar mucosas nasais”, comenta.

A rinite alérgica tem tratamento. Procure o seu médico para ser avaliado e assim melhorar sua qualidade de vida com o alívio dos sintomas.