Flávio Diefenthaeler Martins é condenado a 58 anos de prisão
28 outubro 2021 |
Compartilhe:

Flávio Diefenthaeler Martins, acusado de matar Roberto Carlos Terres, Maria Elizabeth Johan Terres e Márcia Cristina Johan Althaus, em 24 de maio de 2017, em Colorado, julgado no dia de hoje (28) na Câmara de Vereadores de Tapera, foi condenado a 58 anos de reclusão.

O segundo Tribunal do Júri do ano em Tapera foi presidido pela juíza Luana Schneider, diretora do Fórum da Comarca local, tendo na acusação o promotor Diogo Taborda e na defesa os advogados Gabriel Ferreira dos Santos, Gisiane Machado, Tayana Pedroso e Vicente Teston Machado.

RELEMBRE DO CASO:

No dia 24 de maio de 2017, Márcia Johan, Maria Johan e Roberto Terres, saíram de Carazinho na companhia de um vizinho, posteriormente identificado como Ercílio dos Santos, sendo o destino Colorado, onde Terres teria negociado um carro.

A presença do vizinho da família no VW Gol era para conduzir um dos automóveis na volta, pois Márcia não estava em condições de dirigir.

Por volta de 19h daquele dia, na localidade de Vista Alegre, interior de Colorado, as vítimas sofreram uma emboscada, quando foram recebidas a tiros. Ercílio dos Santos, o vizinho da família, conseguiu fugir para uma lavoura, ficando escondido até a chegada de um familiar, comunicado via celular com um pedido de socorro. Na volta, ele teria ido até a casa do filho mais velho de Márcia e contado o fato. Ele teria voltado ao local, mas nenhum sinal das vítimas foi encontrado.

Na madrugada do dia seguinte, os familiares foram até a Delegacia de Polícia de Carazinho, que iniciou as buscas. No mesmo dia, o veículo foi encontrado incendiado em Mormaço.

Duas semanas após o crime, o acusado Flávio Diefenthaeler Martins, de 47 anos, foi preso em Carazinho. Com ele foi encontrado um revólver, de uso permitido, porém sem autorização e em desacordo com determinação legal e regulamentar. Ele foi encaminhado ao presídio de Espumoso.

Cinco meses depois do crime, no dia 01 de outubro de 2017, os corpos da família foram encontrados na Fazenda Montenegro, na localidade de Colônia Saudades, interior de Não-Me-Toque. Naquela manhã, dois homens procuravam lenha em uma mata, quando avistaram o pedaço de um crânio humano e uma bota feminina. A polícia foi chamada e encontrou os corpos em uma cova rasa, de cerca de um metro de largura por um metro de profundidade.

Após exames de necropsia, a família foi sepultada três dias depois em Carazinho.