Hospital Roque Gonzalez completa 80 anos
17 dezembro 2021 |
Compartilhe:

O Hospital Roque Gonzalez foi fundado em 1941, período em que Tapera ainda era o 3º Distrito de Carazinho, construído com recursos e por taperenses liderados pelo padre da época, Clemente Kampmann. Foi inaugurado em 15 de dezembro de 1941.

No início, a administração ficou a cargo das irmãs da Congregação de Notre Dame, até os anos 70, sempre com Diretoria e Conselheiros da Comunidade, “e foi um marco da medicina local e regional”, complementa a direção do hospital.

Ainda conforme a diretoria do HRG, um fato marcante da história do Hospital foi o incêndio ocorrido em pleno Carnaval, em 10 de março de 1943, sem vítimas, mas com grande destruição do prédio. “Mais uma vez o padre e comunidade reconstruíram o Hospital”.

Nos últimos anos, vem atuando no resgate de suas atividades com foco no atendimento local e regional, através de auxílio da comunidade, recursos de emendas parlamentares, convênios com a Saúde do estado, com o SUS e apoio do Poder Público Municipal.

As exigências da 6ª Coordenaria de Saúde demandaram uma série de adequações.

Hoje, o hospital conta com um centro cirúrgico atualizado, 42 leitos – com projeto para chegar a 50, estrutura de Urgência e Emergência com atendimento 24 horas por dia e demais estruturas para o funcionamento, de acordo com a legislação e a vigilância sanitária.

Outra melhoria dos últimos anos foi a construção de uma estrutura para o Centro de Diagnóstico do Hospital, que conta com equipamento de raio-x e ultrassom, ambos com imagens digitalizadas e projeto em andamento para instalação do tomógrafo.

Quanto aos serviços prestados, a Diretoria do Hospital destaca sobre o plantão 24 horas, cirurgias eletivas e outras, internação hospitalar, destacando que 80 % dos procedimentos e atendimentos são via SUS, ou seja, gratuitos para a população.

O hospital não deixa de ser uma empresa que proporciona 42 empregos diretos e inúmeros indiretos, como laboratórios, clínicas médicas e outros. O HRG acredita na medicina preventiva e local. “Quem sabe, a solução para os grandes problemas do Brasil não está na descentralização e no fortalecimento dos municípios”, diz a Direção.

A pandemia de coronavírus demonstrou a importância dos hospitais em cidades menores: atendimento rápido e próximo, melhores condições de controle da propagação de vírus e bactérias, desafogar os atendimentos de centros maiores. A saúde pública do município demanda atendimento local, também pela rapidez e proximidade, não necessidade de deslocamentos para centros maiores, necessidade de redução de custos.

Vários projetos estão previstos e alguns em andamento: qualificação dos recursos humanos em todas as áreas do hospital; aumento do número de leitos; estruturação de Consultórios Médicos para oferecer consultas em várias especialidades médicas; Médicos já contatados e aguardando para darem início ao trabalho no local; celebrar convênios com municípios vizinhos ou da região; definir área específica como referência em atendimento; concretização da referência em atendimento odontológico em nível hospitalar para pacientes com necessidades especiais – PNE, procedimentos que já estão sendo realizados no bloco cirúrgico.

O município de Tapera conta com um Centro de Especialidade Odontológica (CEO) que atende toda a região. No estado do RS apenas um hospital conta com esta especialidade, cuja demanda é alta. Estamos reivindicando esta especialidade para o Hospital Roque Gonzalez; atrair profissionais médicos para atuarem em Tapera e no hospital.

A direção conclui: “Nesta data especial, 80 anos do Hospital Roque Gonzalez, o mais importante é agradecer! Os idealizadores, os integrantes das Diretorias, a comunidade taperense presente em todos os momentos, os profissionais de todas as áreas que atuaram e atuam no Hospital, o Poder Público, os pacientes – razão de ser da entidade. Obrigado! O futuro do Hospital é responsabilidade de todos”.