Tapera Tradicionalismo
Novo patrão do CTG Guido Mombelli fala sobre sua trajetória e os objetivos à frente da entidade
11 maio 2021 | Tapera Tradicionalismo
Compartilhe:

Leodegar Tischer, o novo patrão do Centro de Tradições Gaúchas Guido Mombelli, iniciou sua vivência no tradicionalismo aos cinco anos de idade. Seu pai sempre gostou da cultura do estado e participava de todos os rodeios da cidade, independentemente da entidade. “Mesmo eu ainda não dançando em CTG, meu pai me pilchava e me levava junto para os rodeios”, conta Leodegar.

Em 2010, o novo líder iniciou sua trajetória no tradicionalismo do Guido Mombelli. Desde então, circulou por vários setores dentro da entidade. Ele já foi três vezes peão farroupilha do CTG, peão farroupilha da 14ª RT por uma vez, diretor de esportes campeiros da 14ª RT por três anos, foi coordenador da invernada da entidade, fez parte do departamento jovem e de eventos, coordenou a invernada juvenil, foi diretor campeiro e de esportes.

Tendo em vista todo o conhecimento, Leodegar colocou-se à disposição para tentar a patronagem.  “Sempre tive o sonho de ser patrão. Coloquei-me à disposição e as pessoas aceitaram meu nome, foi vontade própria minha querer estar à frente da entidade”, declara ele.

Todos os patrões que passaram pelo CTG Guido Mombelli deixaram seu legado, e por isso, Leodegar também quer deixar o seu. A expectativa é continuar realizando o trabalho que já estava sendo feito com as invernadas artísticas, desde a Dente de Leite até a Xirú. Além disso, também continuar com a equipe de laçadores, sempre aprimorando e trazendo novas pessoas para a campeira. O intuito é continuar a concorrer a prêmios de dentro e, até mesmo, de fora do estado.  “Queremos sempre aprimorar esse trabalho e evoluir, não só como dançarinos, mas também, procurar sempre nos tornarmos pessoas melhores a cada dia.”

Conforme Leodegar, também são objetivos a reforma da cancha de bocha e da cozinha da entidade, a fim de deixar os setores mais adequados para os eventos e demais atividades. Quando os ensaios retornarem, as invernadas pretendem esforçarem-se para participar dos rodeios da região e de fora do estado. Mais uma das metas, também, é continuar a participação, todos os anos, no Festival do Folclore Mundo em Dança, e possivelmente, a entidade apresentar-se fora do país.

Para Leodegar, “o principal é investir em crianças e adolescentes, pois são ‘o futuro da entidade’. Queremos formar pessoas para, futuramente, assumirem cargos dentro da entidade”.

O patrão conclui com uma mensagem de gratidão: “Quero agradecer ao patrão celestial pela saúde, para continuar fazendo o que eu gosto dentro da entidade, à patroa Terezinha, pelo excelente trabalho desenvolvido, por todo o suporte e por sempre ter valorizado a entidade, às pessoas que são parte dela desde [o início da] patronagem, ao conselho de vaqueanos, a dançarinos, laçadores, peões, prendas, associados, e à mídia que, sempre junto com a entidade, divulga nosso trabalho. As pessoas que quiserem participar ou conhece-la serão, todas, bem-vindas.”