Professor da UNISC participa de live sobre o SUS com alunos do I.E.E. Imaculada
5 outubro 2021 |
Compartilhe:

Alunos do Ensino Médio do Instituto Estadual de Educação Nossa Senhora Imaculada participaram de uma live sobre o tema “Educação e Saúde: os caminhos do SUS na escola” ministrada pelo professor doutor Camilo Darsie, coordenador do internato de Saúde Coletiva e professor do curso de Medicina da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). A conversa ocorreu no dia 15 de setembro, quarta-feira, e também contou com a participação online dos alunos da escola Maurício Cardoso, de Soledade.

Darsie resgatou aspectos marcantes da história do Sistema Único de Saúde, seus princípios e diretrizes, e ressaltou que o SUS é um dos maiores e mais complexos sistemas de saúde pública do mundo, realizando de simples atendimentos para avaliação da pressão arterial até transplantes de órgãos. Entre as ações que marcaram a trajetória do sistema, o Movimento da Reforma Sanitária Brasileira, no início da década de 1970, que tinha por finalidade a melhoria das condições de vida da população. Foi uma luta que resultou na realização da 8ª Conferência Nacional de Saúde, em 1986, permitindo a participação da sociedade civil no processo de construção de  novas metas, com vistas à saúde como direito de todos e dever do Estado.

Após essa conferência, as principais resoluções foram confirmadas pela Constituição Federal promulgada em 1988, conforme o Art. 196: “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”

Darsie reforçou que as políticas públicas brasileiras não são obras assistencialistas, e sim, direitos da população. Independentemente de classe social, o SUS é um direito de todos os brasileiros. Desde sua criação, ele segue princípios fundamentais que  obedecem às diretrizes da Constituição Federal de 1988:

  1. Universalidade: visa garantir o acesso de todos à saúde, de forma gratuita, sem distinções ou restrições;
  2. Integralidade: amplia a abrangência do conceito de saúde para garantir ações preventivas e de tratamento em qualquer nível de complexidade;
  3. Equidade: defende, por meio de políticas públicas que canalizem maior atenção aos mais necessitados, ações para a promoção da justiça social;
  4. Descentralização: ações de saúde geridas pelos municípios, com autonomia financeira e responsabilidades sobre os recursos financeiros, cabendo aos gestores o estabelecimento de parcerias e atribuições entre as esferas de governo;
  5. Direito da Participação Social: a população, de forma democrática, tem o direito de participar dos processos decisórios por meio de fiscalização e desenvolvimento das políticas de saúde.

O SUS é uma conquista popular em permanente processo de construção e aperfeiçoamento, contemplando a maioria da população através de seus serviços.

A pandemia de covid-19 mostrou a importância do papel do SUS à população. A organização de hospitais de campanha, o treinamento de profissionais para atuação na linha de frente, a expansão de leitos e compras de recursos como respiradores, de forma rápida, mostraram a flexibilidade e rápida adaptação do Sistema Único de Saúde.