Tapera
Professor: Dedicação que faz toda a diferença
19 outubro 2021 | Tapera
Compartilhe:

Por: Tauana P. da Costa/Jornalista do Jornal da Integração-Tapera/RS

O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro.

A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país.

A missão do professor está na construção de uma sociedade mais justa, crítica, responsável pelo mundo em que se vive, consciente em suas escolhas, fundamentadas no conhecimento, em habilidades e competências que promovam uma vida melhor.

A professora Fernanda Cornelius, fez magistério no I.E.E. Nossa Senhora Imaculada e depois faculdade de Ciências com Licenciatura Plena em Biologia.

Seu primeiro emprego foi na E.E.E.M. Dionísio Lothário Chassot, com contrato, depois prestou concurso para professor de anos iniciais da Prefeitura de Tapera, onde trabalhou na Escola Municipal Francisca Cerutti, Presidente Costa e Silva atuando com turmas de educação infantil ao 5º ano e hoje trabalha na supervisão da Escola Municipal João Batista Mocelin. Também prestou concurso para professor de Ciências, do estado do RS, dos anos finais, em que atuou desde sempre na Escola Estadual de Ensino Médio Dionísio Lothário Chassot com turmas de 6º ano a 3º ano do Ensino Médio.  É pós-graduada em Educação Ambiental e recentemente conclui a pós-graduação em Tecnologias aplicadas na Educação.

Para a professora Fernanda, é difícil conceituar o que é ser professor. “É como se fosse um semeador de ideias, de sonhos, os resultados não são vistos a curto prazo, mas sim, ao longo de uma vida inteira de trabalho. É um trabalho muito amplo que envolve muito além de conhecimento, sentimentos, ética, as relações sociais e a formação cidadã, é trabalhar com tudo isto e nunca estar pronto”.

Fernanda conta que tornou-se professora por respeito e admiração aos seus professores, e segundo ela, foi sempre um sonho de criança e também uma forma de garantir poder continuar estudando. “Minha família não tinha muito estudo e ver o orgulho que tinham de ter uma filha estudando para ser professora foi muito motivador”, comenta.

Entre as mudanças significativas, a professora destaca a questão do acesso e permanência de todos os alunos na escola e juntamente vem a questão de como garantir uma educação integral com qualidade e equidade. Segundo ela, a dificuldade está na questão de uma política educacional que garanta continuidade, formação e valorização profissional, onde sejam garantidos investimentos em educação independentemente de partido político, as mudanças são muito frequentes fragmentando o trabalho.

“Assim como não podemos deixar de falar da contínua desvalorização do professor e da escola pública, sendo cada vez mais difícil encontrar professores para suprir as demandas, já estamos vivendo um momento que os alunos não querem mais ser professores, não formamos mais professores, sendo cada vez menor o número de ingressantes e de profissionais que se formam em licenciaturas bem como em cursos técnicos”, comenta.

O que mais marca para a professora Fernanda, “é o encantamento e a alegria em aprender, a expressão no rosto dos alunos a cada nova descoberta, o abraço afetuoso, o carinho gratuito e uma boa lembrança de um aluno do passado são coisas que dão sentido ao trabalho e mostram o prazer de ser professor”.

Mas há também as marcas negativas de crianças e estudantes, “que sofrem com uma sociedade injusta, violenta, com falta de diálogo e acompanhamento familiar (não se trata apenas de questão financeira, mas de ser presente na vida escolar dos filhos), sendo estes inúmeras vezes muito bons por todas as dificuldades que passam quando paramos para ouvi-los e compreende-los, para então pensar que interferências são necessárias para que a aprendizagem aconteça”.

Em sala de aula, Fernanda busca ser justa na medida do possível, preparando-se para dar uma boa aula e buscando manter um clima adequado, com atenção e respeito, onde todos possam aprender. “Busco utilizar metodologias diferentes e atividades práticas sempre que possível, desafiando os alunos através de questionamentos e relações com a realidade, buscando demonstrar a beleza e a importância da ciência no nosso dia-a-dia”, diz a educadora.

“A docência não é um caminho fácil, mas sem dúvida é apaixonante para todos aqueles que amam aprender a cada dia, que gostam de pessoas e acreditam num mundo melhor e se dispõe a fazer a diferença”.

“Como recado final, compartilho a mensagem de dia dos professores da SMECDL: Ser professor é importar-se com o outro numa dimensão de quem cultiva uma planta muito rara, que necessita de atenção, amor e cuidado”.

“Meu reconhecimento a todos os colegas e um feliz dia dos professores”, concluiu a professora Fernanda.