Saiba como proteger os pets dos fogos de artifício durante o Natal e o Ano-Novo
24 dezembro 2021 |
Compartilhe:

Com a proximidade das festas de Natal e Ano-Novo, cresce a apreensão de quem tem animais de estimação. Isso porque os fogos de artifício têm presença confirmada, principalmente no final do ano. Em muitos casos, os bichinhos sofrem com aumento da frequência cardíaca e tentam fugir do barulho. Os fogos não assustam apenas os bichos, que têm audição aguçada e sensível, mas também prejudica os idosos, as crianças e os autistas.

Mesmo que esteja em vigor a lei 17.389/2021 que proíbe a queima de fogos de artifício com ruído acima de cem decibéis no Estado, a prática ainda deve ocorrer em diversas cidades gaúchas.

Os fogos que produzem efeitos visuais sem estampidos e os dispositivos de efeito moral e sonoro utilizados pelas forças de segurança são permitidos pela lei.

 

Alerta

Em caso de estampidos elevados, o cão pode se assustar e morrer do coração, se enforcar nas correntes, tentar passar por grades, fugir, se perder e ser atropelado. Os cachorros e os gatos têm taquicardia, salivação, tremores, medo de morrer e escondem-se em locais minúsculos, fogem para nunca mais serem encontrados e pode provocar acidentes nas vias públicas.

Saiba como proteger seu pet

*Coloque todos os animais dentro de casa, inclusive os que ficam em canis.

*Não esqueça de soltar os cães da corrente. O mais seguro é deixar o seu pet dentro de casa, em um ambiente o mais isolado possível do barulho e em local protegido, é extremamente importante manter portas e janelas fechadas para abafar o som de fora o máximo possível e evitar fugas.

*Não demonstre medo ou nervosismo, mas sim segurança e tranquilidade.

*Evite que crianças fiquem agarrando e abraçando o pet, pois isso pode desencadear uma lembrança ruim decorrente do pânico do animal.

*Cuide do seu pet, e aos que não tem pets, lembrem-se: o animal não é apenas um animal, ele é o amor de alguém.

*Evite colocar muitos animais no mesmo ambiente, eles podem brigar ou até se matarem na hora do desespero.

*Não deixe o animal sozinho. Quem mora numa casa deve ficar atento aos portões e muros, pois a tendência é que o animal tente fugir para longe do barulho. No caso dos apartamentos, a atenção deve ser direcionada para a varanda e janelas, onde há risco de queda na tentativa de fuga.

*Coloque chumaços de algodão grandes nas orelhas do animal. Isso pode ajudá-los a ouvirem menos o barulho dos fogos.

*Jamais medique seu pet. Apenas um veterinário pode fazer isso.

*Animais de porte grande, se possível, devem ser levados para dentro de casa e mantidos sem correntes ou coleiras. No desespero em fugir do barulho que, para eles, é ensurdecedor, muitos podem se ferir.

*Mantenha a calma. O comportamento alterado pode gerar tensão para o animal. Pegar o animal no colo e tentar acalmá-lo pode, inclusive, intensificar o medo.

*Não dê muitos alimentos neste dia, pois o medo pode gerar torção gástrica, que pode matar.

*Escolha um cômodo que possa servir de abrigo para o bicho e que tenha pouca interferência de barulho externo. É bom ligar a TV ou o rádio para amenizar o som dos fogos.

*No caso dos gatos, a dica é deixar armários com as portas abertas para que eles possam se esconder. Cães costumam ficar embaixo de camas ou móveis que lhes garantam segurança.

*Não tente tirá-los do local escolhido: permita que eles encontrem um local onde se sintam protegidos (embaixo da cama, dentro do armário, no meio das almofadas do sofá, dentro do box do banheiro, etc).

*Cubra gaiolas de pássaros com um cobertor grosso: eles também ficam apavorados com o barulho (lembrando que lugar de passarinho é na natureza, jamais em uma gaiola).

*Mantenha seu pet com medalhinha de identificação.

 

Fonte: Gaúcha ZH, Sociedade Amigos dos Animais (Soama) e Centro Médico Veterinário Humanitare de Caxias do Sul.