Selbach se destaca na 51ª Ciranda Cultural de Prendas e o 33º Entrevero Cultural de Peões em Ibirubá
21 setembro 2021 |
Compartilhe:

A 51ª Ciranda Cultural de Prendas e o 33º Entrevero Cultural de Peões foram realizados na cidade de Ibirubá no dia 7, feriado nacional de Independência do Brasil. A programação iniciou-se às 8 horas da manhã, com recepção e café aos convidados.

Selbach foi um dos municípios que se destacou no evento. Representantes do CTG Estância do Imigrante conquistaram títulos, e com muito orgulho, levarão o tradicionalismo consigo e representarão o município e a entidade em eventos futuros.

Henry Olavo Finger, 12 anos, 2º Piá Farroupilha da 9ª RT  

Iniciou sua trajetória no tradicionalismo, na invernada artística, aos três anos de idade, pois assistia sua irmã dançar e, como ele conta, gostou e “também quis começar a fazer parte da invernada”. Em 2014, participou do seu primeiro concurso como Piazito, conquistando o cargo em 2014, 2015, 2017, 2018 e 2019, ano em que foi 1º Piá do CTG Estância do Imigrante, “título, esse, que me trouxe a oportunidade de ir para o concurso regional em 2020, mas como houve a pandemia, este sonho foi adiado para 2021”, diz ele.

Henry participa da invernada artística, de declamações e de cavalgadas, representando o CTG Estância do Imigrante.

Conforme Henry, sua preparação para o 33º Entrevero foi pouca, pois a prioridade era a escola e era período de provas, então, somente nas horas vagas conseguia estudar conteúdos do tradicionalismo. “Apesar de saber que deveria ter me preparado mais, me senti muito orgulhoso representando meu CTG e minha cidade de Selbach”, frisa.

Quando seu nome foi anunciado como 2º Piá Farroupilha da 9ªRT, Henry ficou surpreso e ao mesmo tempo muito feliz, “pois não estava esperando essa classificação e, passada a euforia da conquista, pude perceber que junto do título vem uma grande responsabilidade em representar bem meu CTG e meu município, por onde eu for”, completa o tradicionalista.

Agora, sendo representante da 9ª RT, os compromissos de Henry aumentaram, pois, segundo ele, além de representar seu CTG, agora também representa a região. “Não posso deixar de cumprir com minhas obrigações com minha entidade, pois ela é como minha segunda família”.

“Sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho. Então, sonhe alto, sonhe grande, acredite, lute, persista. Permita-se sonhar e alegre-se ao vencer, e o mais importante de tudo: nunca desista”, conclui Henry.

*Tauana P. da Costa- Jornalista do Jornal da Integração de Tapera