Tapera é polo de Mini-Handebol
16 agosto 2021 |
Compartilhe:

O Projeto Municipal de Handebol foi contemplado na segunda-feira, dia 9, para ser polo aprovado e chancelado do Mini-Handebol Brasil pela Confederação Brasileira de Handebol. No Rio Grande do Sul, seis projetos foram aprovados, sendo que a Prefeitura Municipal de Tapera está entre eles para, ainda neste ano, colocar em prática.

O projeto vai trazer ao município:

  • Maior visibilidade e reconhecimento da modalidade de

Handebol em nível local, estadual e nacional. Ou seja, trazer mais crianças e jovens para a prática desportiva.

  • Ter acesso a materiais pedagógicos, cursos e formações aos profissionais da área de Educação Física.
  • Aumentar as turmas com idades menores no município, a partir dos sete anos.
  • Participar de competições e festivais com essas turmas e faixas etárias.
  • Organização de um evento local de Mini-Handebol, incentivando outros municípios da região a participarem.

 

Atualmente, o Município de Tapera atende em torno de 150 crianças e adolescentes nesse projeto. As aulas são ministradas no ginásio poliesportivo nas terças, quintas e sextas-feiras à tarde pela professora Leonor Machiavelli (Ninha).

 

Para 2022, serão criadas novas turmas no turno da manhã para alunos de sete e oito anos. Vale ressaltar que o projeto é público, encabeçado pelo município de Tapera, e qualquer aluno pode participar gratuitamente.

Sobre o Mini-Handebol

O Mini-Handebol é uma atividade de iniciação aos princípios do handebol que visa trabalhar de forma adaptada, lúdica e integral todo o processo de ensino dos movimentos, ações, aplicações e particularidades dos jogos com ou sem bola para crianças de cinco a dez anos de idade.

Mais do que um jogo, o Mini-Handebol é uma filosofia que valoriza o jogo infantil. Isto é, inclui prazer, diversão, aventura e, por outro lado, orienta-se no sentido da metodologia e da didática da Educação Física e desportiva para crianças do primeiro ciclo do ensino básico (cinco a dez anos de idade), sendo adaptável tanto à escola quanto aos clubes (Garcia, 2001).

Por meio de jogos, brincadeiras, exercícios, situações e atividades que respeitem as características, individualidades e necessidades das crianças, o mini-handebol preza pelo desenvolvimento global do indivíduo. Ou seja, atua de maneira intensa no desenvolvimento das capacidades e habilidades: físicas, motoras, cognitivas, socioafetivas, educacionais e esportivas. Tudo é pensando, planejado e executado por meio de atividades que sejam agradáveis, prazerosas e significativas às crianças.

Ao mesmo tempo em que o Mini-Handebol é fácil de jogar, justamente por envolver habilidades fundamentais e regras simples, o esporte mostra-se versátil e dinâmico em relação a contemplar diversos objetivos, podendo ser explorado tanto em escolas quanto em clubes e projetos sociais, com propostas que têm poder educativo, esportivo, social e formativo.

O principal objetivo do Mini-Handebol é ser uma atividade que proporcione às crianças as condições e experiências mais variadas, positivas e ricas possíveis, sem se importar com treinamentos rígidos, táticas ou placares de jogos. É uma atividade que deve ser incentivada a ser praticada com e por prazer em prol da formação do cidadão, construção do conhecimento e desenvolvimento integral das crianças. Caracterizada por ser uma atividade feita na medida para as crianças, as atividades práticas são repletas de adaptações que possam contribuir para o melhor andamento e desenvolvimento do processo pedagógico.