Tapera: Por telefone, Bombeiro salva vida de bebê engasgada
6 dezembro 2021 |
Compartilhe:

Eduardo de Souza Fagundes, Soldado Fagundes, do Corpo de Bombeiros Comunitário de Tapera, realizou o curso de Formação de Soldado em Passo Fundo (início em julho 2017), formatura em abril 2018, sendo destinado para Tapera em junho de 2018, onde trabalha até a presente data.

Uma bebê de 20 dias, residente de Linha São Pedro em Tapera, foi salva pelo Soldado Fagundes, do Corpo de Bombeiros Comunitário de Tapera. O atendimento foi realizado por telefone, por volta das 22h, de domingo,5.

Conforme o Soldado Fagundes, o tio da bebê ligou, pedindo ajuda para salvar sua sobrinha que havia se engasgado com leite.  “Atendimento foi rápido, inicialmente acalmando o tio da bebê, e logo em seguida, passando as manobras para ele realizar, via telefone”, relata Fagundes.

O tio da bebê foi orientado a colocá-la de bruços em seu braço, com a cabeça levemente para baixo, e dar batidinhas com a palma da mão nas costas. “Logo em seguida o tio da bebê nos informou que a bebê havia se desafogado”, conta o Bombeiro.

Segundo ele, foi solicitado para levar ela ao hospital para realizar alguns exames, e caso não conseguisse, “nos avisar que iríamos deslocar com a viatura leve, até a residência onde estava a bebê para levarmos ao hospital. Mas o tio, prontamente nos avisou que já estava levando a bebê ao hospital. E ficou muito agradecido”, frisa o Soldado Fagundes.

“Após o tio nos informar que a bebê havia desafogado, nos passou um sentimento muito bom, que em conjunto, conseguimos salvar a bebê. E devemos dizer também, que o tio fez um papel fundamental, ao conseguir agir com calma e realizar as manobras de forma correta”, diz.

Para a comunidade, o Corpo de Bombeiros deixa dicas de como agir em situações como essa:

“É preciso primeiramente ter calma. Para conseguir realizar as manobras corretas e desengasgar o bebê. Colocar o bebê de bruços em seu braço, com a cabeça levemente para baixo, e dar batidinhas leves com a palma da mão nas costas do bebê”, concluiu Fagundes.

Por: Tauana P. da Costa- Jornalista do Jornal da Integração