Técnico em Segurança do Trabalho: atitude e responsabilidade
3 dezembro 2021 |
Compartilhe:

Anualmente, em 27 de novembro, é celebrado o Dia do Técnico de Segurança no Trabalho. A data homenageia os profissionais que têm como principal responsabilidade garantir a segurança e a proteção dos demais colegas de trabalho.

A escolha da data é uma homenagem à lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985, responsável por regularizar as profissões de Técnico de Segurança do Trabalho e de Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Esses profissionais certificam-se de que todas as medidas preventivas para evitar acidentes sejam tomadas, assim como tentam garantir que a saúde dos trabalhadores não seja afetada pelas atividades ocupacionais cotidianas.

Por isso, como uma forma de lembrar a importância dessa profissão, o Jornal da Integração conversou com Tiago Rodrigues, que comenta sobre o assunto.

Tiago é Técnico em Segurança do Trabalho da Cooperativa Cotrisoja, onde atua nessa área há nove anos. “Tenho muito orgulho em pertencer a essa classe”, diz.  Para ele, o Técnico em Segurança do Trabalho (TST) é aquela pessoa responsável por promover, diretamente, a saúde e a integridade física dos trabalhadores dentro das organizações. É aquela figura que faz da conscientização sua arma na luta contra os acidentes.

Conforme Tiago, algumas das principais atividades do TST são: verificar as condições de trabalho dos colaboradores e garantir que sejam cumpridas as normas de segurança e saúde durante a realização das atividades, orientar e capacitar os trabalhadores sobre a forma segura para a realização do seu trabalho, assim como dos equipamentos de proteção que possam vir a utilizar, dar o ponto de vista dos procedimentos perante a legislação, fiscalizar o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individuais, responsável por ministrar instruções e treinamentos de segurança, elaborar laudos e programas de gestão de segurança, dentre outras atividades.

“Dentre todas as atribuições, a que particularmente com que mais me identifico é a de poder realizar treinamentos de segurança. Poder estar próximo do trabalhador a ponto de mostrar não só na teoria, mas na prática, que as atividades podem sim ser realizadas de forma segura, e que os benefícios são muitos, é bastante gratificante. Por isso, também possuo uma empresa que presta serviços com consultoria e capacitações de segurança”, diz o Técnico de Segurança.

Os profissionais da área de segurança do trabalho existem porque os índices de acidentes de trabalho ainda são altos. “Apesar da evolução tecnológica ser tão rápida e trazer inúmeros benefícios também para os ambientes de trabalho, facilitando e, muitas vezes, automatizando processos, os acidentes ainda ganham destaque”, frisa Tiago.

Hoje, no mundo, um trabalhador morre por acidente de trabalho ou doença ocupacional a cada 15 segundos, segundo a OIT – Organização Internacional do Trabalho. “Um índice bastante chocante, mas que demonstra a seriedade da situação”, complementa.

Dentre os principais atributos que esse profissional precisa ter, Tiago destaca “o jogo de cintura”, pois, segundo ele, trabalhar com pessoas exige isso. Nem sempre as coisas vão acontecer como se espera, e você precisa saber lidar com a situação. Talvez, dentre os desafios encontrados nessa profissão, os maiores sejam os de conscientizar os funcionários e os empregadores de que a segurança do trabalho é fundamental para a realização de um trabalho seguro e que deve ser vista como prioridade por todos”.

Para evitar acidentes, para diminuir as estatísticas e para promover a saúde dos trabalhadores, os TST’s precisam do apoio e compreensão de todos. “Seguir as normas de segurança e as orientações desses profissionais é de suma importância. Nem sempre fazer da forma segura é a mais fácil ou a mais rápida. Porém, é a única que garante que você chegue em casa ao fim do dia são e salvo”.

“Neste dia 27, quero deixar uma saudação especial a todos os colegas de profissão que travam uma luta diária na prevenção de acidentes. Quem previne acidente salva uma vida! Feliz Dia do Técnico e Engenheiro de Segurança do Trabalho”, finaliza Tiago.