Três em cada cinco pessoas pretendem gastar 13º nas comemorações de fim de ano
11 novembro 2021 |
Compartilhe:

As compras de presente de Natal (33%) e os gastos com as comemorações de fim de ano (24%) serão o destino do 13º salário de 57% dos trabalhadores, de acordo com pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), em parceria com a Offer Wise Pesquisas. Segundo o levantamento, 34% dos profissionais que têm direito à remuneração extra pretendem poupar os recursos, 16% vão usar o dinheiro para pagar impostos e tributos e a mesma parcela (16%) pretende pagar dívidas em atraso.

O presidente da CNDL, José César da Costa, destaca que, antes de decidir o que fazer com o dinheiro do décimo terceiro salário, o ideal é que o consumidor faça uma análise de sua situação financeira e estabeleça prioridades do momento. “O dinheiro deveria ser utilizado, primeiramente, para pagar dívidas atrasadas, empréstimos ou para investir. Caso o consumidor tenha mais de uma dívida, o ideal é escolher aquela que está atrasada ou optar pela que tem o valor com juros mais altos como, por exemplo, cheque especial e cartão de crédito”, orienta Costa.

Ele diz ainda que é importante reservar parte dos recursos para arcar com os gastos que costumam aparecer no começo do ano, como o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), as matrículas escolares e o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores).

Instituída pela lei 4.749, de 1965, a gratificação natalina beneficia todos os profissionais que atuam com carteira assinada, incluindo funcionários domésticos, urbanos e rurais. Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tiveram as duas parcelas da remuneração extra antecipadas.

Bicos

A pesquisa revela também que 59% dos entrevistados pretendem fazer bicos para comprar mais presentes de Natal. A busca pela renda extra é maior, principalmente, entre as mulheres (64%) e as pessoas das classes C, D e E (68%).

Costa avalia que a movimentação de utilizar os recursos do 13º salário e recorrer a bicos, muitas vezes informais e temporários, para comprar presentes ocorre devido ao apelo e à importância simbólica do Natal para as famílias brasileiras.

“Neste ano especialmente, as pessoas devem se encontrar em eventos que não ocorreram no ano passado devido à pandemia. É importante, porém, que o consumidor estabeleça um limite de gastos para não entrar no próximo ano endividado”, alerta o presidente da CNDL.

*Correio do Povo