Um tributo para Dante
1 novembro 2021 |
Compartilhe:

Dante Alighieri, peta Florentino, imortalizado pela sua obra Divina Comédia, completa neste ano 700 anos de sua morte. Além da obra que o projetou, Dante teve muita importância na formação na língua italiana.

Na época, os documentos e escrituras eram redigidos em latim. Foi ele quem deu ao dialeto, ou “língua vulgare”, a mesma dignidade que o latim, incorporando vocabulário e expressões faladas pelo povo em sua obra literária.

Qual é a conexão entre Dante e Tapera? Para entender isso, é preciso voltar ao ano de 1925, quando se comemoraram cinquenta anos da imigração italiana no Brasil, data em que foi erigido um busto de Dante na praça pelos descendentes italianos locais.

Durante a Segunda Guerra Mundial, quando a Itália estava alinhada com o Eixo (Alemanha e Japão), e portanto, era inimiga do Brasil, os imigrantes acharam por bem esconder o busto em local seguro, temendo a sua destruição. Quando a Itália voltou a ser uma aliada brasileira, o busto retornou ao local original onde permanece até hoje, em nossa praça, ao lado do quiosque.

O logradouro também se chamava Dante Alighieri. Durante a guerra, as autoridades municipais da vila de Tapera, que então pertencia a Carazinho, trocaram o nome, homenageando o poeta brasileiro Olavo Bilac. Mais recentemente, o nome da praça foi novamente trocado, em justa homenagem ao primeiro médico de Tapera, Avelino Steffens.

O busto representa uma bela página de nossa história e é o monumento mais antigo de nosso município, levando-nos a pensar sobre o sentimento dos imigrantes e dos seus descendentes, já nascidos aqui, que não esqueceram a suas origens na pátria distante.

 

(Osvaldo Henrich Filho, vice-prefeito do município de Tapera)