Os nossos erros
18 fevereiro 2017 |
Compartilhe:

Esforçamo-nos para fazer a coisa certa? Procuramos sempre agir corretamente? Se dependesse da nossa vontade de agora, deixaríamos de errar para sempre?

O fato é que nós cometemos erros todos os dias. Fazemos tanta coisa errada que nem vale a pena comentar sobre elas. Até porque devemos valorizar os nossos acertos, devemos nos alegrar com as coisas boas que conseguimos fazer.

Há uma frase atribuída ao Chico Xavier que diz que não devemos cobrar dos outros virtudes que não temos.

As pessoas mal humoradas sofrem muito com seu mau humor, inclusive fisicamente, são assim porque pensam mal dos outros, falam pelas costas, ou são ingratas, não valorizam a vida. Esses erros fazem de nós pessoas ranzinzas, e isso é fraqueza.

Quando trabalhamos de má vontade sentimo-nos sempre visados, como se houvesse uma perseguição sobre nós, às vezes, por não gostarmos do que fazemos, ou por não gostarmos de trabalhar, também por não valorizarmos nossa função, ou por simples desleixo. Por causa do nosso descuido e relaxamento, esperamos sempre por alguma crítica, ou cobrança, ou reclamação, e com o tempo achamos que o ambiente de trabalho é um complô para derrubar-nos.

Assim também acontecem nas relações diárias, com nossos familiares e na interação diária com nossos semelhantes.

Todo erro traz fraqueza.

 

Sociedade Espírita “Raios de Luz”