A doma de cavalos: amor pela profissão e pelo animal
14 janeiro 2022 |
Compartilhe:

O cavalo faz parte da identidade cultural do povo gaúcho. Muito embora nem todos convivam com o animal nos dias de hoje, ele está ligado à figura do gaúcho de uma maneira indissociável. Mas para poder cavalgar ou participar de competições, o equino necessita estar bem domado e de uma forma que aceite os comandos dados pelo seu cavaleiro.

Mas como é feita a doma de um cavalo? O que leva alguém a ser um domador? Uma resposta clara e objetiva é o amor pelo animal. Estar em contato com ele pode trazer ainda mais admiração pela profissão, que já é considerada rara nos dias de hoje. Mas tal serviço ainda existe e é muito bem executado por um cara que entende, e muito bem, do assunto: o jovem Fábio Marcon. Proprietário de uma hotelaria e domador de cavalos desde adolescente, ele realiza seus serviços de doma junto à fazenda da família, no interior de Quinze de Novembro.

Fábio possui anos de experiência na lida com os cavalos, trabalhando principalmente com a raça crioula, que tem grande apreço pelos gaúchos devido à sua personalidade mais dócil e sua rusticidade, força e também beleza. O domador tem no seu dia a dia contato direto com dezenas de animais, os quais trata com maior cuidado e zelo, fazendo de sua hotelaria referência na região. Mas a arte de domar um animal ainda xucro começou cedo, como ele relata:

“Minha lida é diária com os cavalos. Sou eu quem forneço o alimento para eles na cocheira, escovo, encilho e monto para o animal ter uma boa vida aqui em minha hotelaria, e tudo isso iniciou ainda adolescente, quando tinha uma égua e coloquei-a em cria. Com o nascimento do potro, iniciei também a parte de aprender a admirar a arte da doma, e fui apreendendo mais dessa profissão, me aperfeiçoando e conquistando mais clientes, que trazem seus animais para mim. Digo que domar requer muita paciência e prática diárias”, explica.

O domador, por exercer tal profissão, durante anos utiliza dois tipos de domas, mas sempre focando no bem estar animal:

“A doma requer muita dedicação diária e, principalmente, amor ao animal, saber qual estilo de doma usar para conseguir domar o cavalo. Utilizo a forma racional e a tradicional, ambas têm características distintas. Para muitos, a tradicional é mais bruta, mas eu, de forma alguma, uso a brutalidade no meu serviço. Trabalho usando o bocal, e todo dia vou “mexendo” no animal. De pouco a pouco, vou observando a personalidade dele, e sempre pego para a doma animais a partir de dois anos de idade, quando já estão bem desenvolvidos e fortes. A cada dia, a gente observa que o cavalo vai entendendo o que está acontecendo e vai aceitando os comandos”, comenta.

Dizem que cada cavalo tem uma personalidade, seja mais dócil ou mais rebelde, algo que é confirmado pelo domador:

“Cada cavalo tem sua personalidade, é como se fosse uma pessoa. Ele tem o seu gênio, e posso dizer que quando um animal tem a personalidade mais arisca e brava, o domador não vai conseguir deixar ele cem por cento confiável, pois está dentro dele ser mais bravo. Nesses anos de doma, já peguei alguns casos de cavalos que não aceitavam a aproximação das pessoas, e se colocava os arreios, já saía em galope. Daí, cabe a nós, domadores, achar a melhor maneira de conseguir conquistar a confiança do animal, e no fim, conseguir deixar o animal o mais dócil possível para exercer a função dele”.

“Em relação à doma, o animal fica em torno de meio ano comigo e, depois disso, o proprietário do animal vem até nós. Eu encilho o cavalo, coloco para andar e explico mais algumas coisas para ele, pois a doma não termina aqui: ela continua durante um certo período”.

Muitos dos cavalos que estão em sua hotelaria localizada na linda Fazenda das Pedras, no interior de Quinze de Novembro, detêm um belo tratamento. Eles ficam parte do dia nas cocheiras, e durante algumas horas, livres a campo. No futuro, Fábio pretende investir em um local maior, mais amplo e moderno para receber mais equinos. A partir de janeiro de 2022, Fábio disse que vai começar a oferecer passeios a cavalos aos turistas.

Para saber mais sobre o assunto, você pode acompanhar a entrevista em vídeo disponível no Facebook do VR. Basta acessar e conferir!