Ibirubá
Ambiente: Aterro Sanitário da Linha Duas receberá ampliação
17 junho 2019 | Ibirubá
Compartilhe:

Reciclagem deve começar a racionalizar depósito de rejeitos

A empresa Geotheca Consultoria Ambiental Geologia Topografia Ltda. apresentou para a Administração Municipal alguns projetos para ampliação do Aterro Sanitário, situado na Linha Duas. A Administração Municipal planeja instalar junto à área do aterro uma usina de triagem, onde todo resíduo será separado, restando apenas o rejeito para o aterro. Após a apresentação e as alterações, os projetos de ampliação serão protocolados na Fepam. A Geotheca foi contratada por R$ 22.980,00.

A reunião aconteceu dia 31/5, no gabinete do Prefeito Municipal, com a presença de Abel Grave, secretários Valdir Lageman (Administração e Planejamento) e Olindo de Campos (Agricultura), equipe do Departamento de Meio Ambiente e os responsáveis pelo aterro.

A célula existente do aterro durou cerca de dez anos. Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), vinculado ao Ministério da Cidadania, mostram que, em 2018, cada ibirubense gerou resíduos da ordem de 1,2 kg/dia, em média. Foram coletadas 3.640 toneladas de resíduos domésticos e 584 toneladas de resíduos públicos (materiais coletados pela Prefeitura).

A criação da Associação de Catadores Cidadania Sustentável Ibirubá proporcionou a implementação da Coleta Seletiva em 2016. Em 2018, a Associação aproveitou 419,0 toneladas de resíduos, 1/3 do que foi coletado pelo caminhão da coleta seletiva. A célula nova terá a mesma configuração.

A vida útil de uma célula depende da ação conjunta entre comunidade e o município. Se as pessoas separam o lixo em casa e a coleta seletiva é eficiente, o material reciclável podem ser facilmente destinados à Associação de Catadores, enquanto que o orgânico (que tem uma parcela bem menor do volume) vai para compostagem. As sobras seriam depositadas no Aterro.

Todo esse processo resulta em um aumento da vida útil do aterro, menor impacto ambiental e mesmo num uso mais racional dos recursos naturais, além de economia para toda a sociedade e em uma menor poluição.

 

Aterro de Linha Duas

O Aterro Sanitário atual é composto por uma célula revestida com lona de polietileno de alta densidade, evitando a contaminação do solo. Tem capacidade de 14 toneladas de resíduos por dia e três lagoas para tratamento do efluente.

O controle de poluição é feito por meio das análises semestrais de água subterrânea obtida por poços de monitoramento. Também é feita a coleta de efluente bruto obtido na primeira lagoa e do efluente tratado obtido na última lagoa.

Após passar pelo sistema de decantação, todo o efluente é recirculado e volta para a célula, ajudando na decomposição dos resíduos. Também há drenagem de gases para evitar explosões.

 

Aterro x lixão

O Aterro Sanitário diferencia-se do lixão por ser uma obra de engenharia, projetada para não causar poluição e degradação do meio ambiente, diferentemente do lixão, no qual o resíduo é disposto no solo sem proteção e monitoramento.

Outra vantagem é que quando atinge o limite de capacidade, o aterro, em condições ideais, pode se tornar um espaço verde ou um parque de lazer, eliminando seu efeito estético negativo. As análises realizadas nos últimos anos demonstram que o Aterro Sanitário de Ibirubá está funcionando adequadamente, sem causar poluição nas águas ou ao solo em seu entorno.