Saúde
Automutilação: SMECTD realiza trabalho de reflexão com pais
8 julho 2017 | Saúde
Compartilhe:

A preocupante situação do comportamento adotado por diversos adolescentes da rede escolar ibirubense com relação à automutilação foi destaque recentemente neste semanário. Com o alerta – como já havia adiantado a Secretária de Educação Mariana Ribas Moraes em entrevista –, a SMECTD está oferecendo um ciclo de palestras com conversas, discussão e orientação sobre o assunto aos pais da rede escolar de todo o município.

A ideia surgiu após investigação de episódio de automutilação em uma escola, ocorrido meses atrás. Em conversa com alunos, chegou-se a percepção de vários outros casos de depressão e automutilação em todas as escolas do município.

Notou-se também forte relação dos casos com a internet, especialmente no que diz respeito à utilização das redes sociais. “Coincidentemente ou não, foi no mesmo período em que a mídia nacional deflagrou informações sobre os casos do jogo da baleia azul. Até então, não conseguimos confirmar o vínculo destes casos ocorridos em Ibirubá com o jogo. Mas a situação era bem propícia, e, por isso, tomamos atitudes imediatas junto às famílias”, comentou a secretária de Educação Mariana Ribas Moraes.

Delegada Diná, secretária Mariana Moraes e a psicóloga Rubia Ribas conduziram os trabalhos

Diante dos fatos, a Secretaria assumiu um compromisso com todas as escolas de Ibirubá. “Disponibilizamos onze profissionais, dentre psicólogos, médicos e psicopedagogos, que irão trabalhar com os pais dentro das escolas com o objetivo de os ajudarem a melhorar, estreitar e retomar, talvez, o diálogo com seus filhos adolescentes, especialmente os do 6º ao 9º ano”, informou a secretária.

À época, constatou-se que os jovens envolvidos encontravam-se, em sua maioria, em situação de abandono afetivo: “Isto foi decisivo para buscarmos um trabalho em conjunto com os pais”, disse Mariana.

Abertura do ciclo de palestras com os pais

O primeiro evento aconteceu na Casa de Cultura Osvaldo Krames na noite do dia 28 de junho. O seminário “Adolescência, valorizando a vida” foi organizado por sugestão das diretoras das escolas. O evento contou com três momentos de breves exposições, feitas pela secretária Mariana, pela delegada Diná Rosa Aroldi e pela psicóloga Rubia Ribas, da rede municipal.

Após as explanações, a palavra foi aberta a quem desejasse levantar questionamentos e sugerir ações. Muitos pais participaram.

Continuidade do trabalho

A partir de agora, as escolas do município, com o suporte dos profissionais disponibilizados, realizarão atividades internas e pontuais junto com os pais e os alunos.

Os temas abordarão as vivências dos adolescentes, o processo de formação da identidade pessoal, o papel dos pais na educação dos filhos, importância do diálogo, do afeto, do estar e ser presente na vida dos filhos, crimes cibernéticos (uso inadequado das redes sociais), o jogo “Baleia Azul” e depressão na adolescência. “Com o trabalho, esperamos estreitar laços afetivos entre pais e filhos. Se alcançarmos um pouco dos nossos objetivos, teremos menos conflitos, gerações futuras mais bem resolvidas e uma sociedade mais feliz”, espera a secretária municipal.