Comandante da BM elogia sistema de câmeras como ferramenta importante
31 março 2017 |
Compartilhe:

Desde 4 de janeiro, a Brigada Militar tem novo comando em Ibirubá. O 1º Sgt. Reiber Henrique Cavalheiro, de Saldanha Marinho, trabalha temporariamente na cidade em substituição ao Sgt. Graminho, que participante de curso de tenentes em Porto Alegre e retorna em julho.

Reiben estava à frente do Pelotão de Selbach, que abrange os municípios de Colorado e Saldanha Marinho. Agora, na 2ª Companhia de Ibirubá, a região é ampliada para Ibirubá, Quinze de Novembro e Fortaleza dos Valos, seis municípios.

O Sargento Reiber ainda está se adequando e orientando quanto às particularidades do município e suas demandas.  “Estamos primando pelo policiamento ostensivo, que continua normal. Apoiamos os municípios vizinhos e estes nos apoiam também quando há necessidade, em ocorrências de maiores proporções. Estamos conseguindo manter nosso trabalho com o número de policiais que temos disponíveis hoje. Apesar de não ser bem como gostaríamos, dentro de nossas possibilidades estamos conseguindo desempenhar um bom trabalho e satisfazer as demandas, que não são tão grandes, pois o povo de Ibirubá é um povo ordeiro e trabalhador, sem ocorrências em número elevado”, destacou.

Dois lugares ao mesmo tempo? Polícia podia “estar prendendo ladrão e traficante”, mas tem de fiscalizar o trânsito e intervir nos excessos, caso dos carros com som alto

Ao ser questionado quanto às recorrentes reclamações de perturbação do sossego junto à área central da cidade, o Sgt. Reiben afirmou que a própria população deve se conscientizar: “O policiamento ostensivo é direcionado ao centro, mas não podemos nos esquecer dos bairros. Acredito que o principal ponto é a conscientização da própria comunidade. Já foram realizadas inúmeras operações, nas quais grande número de veículos com som alto foram autuados, e teve ume época, inclusive, que o juiz (da Comarca) precisou colocar os processos de perturbação em uma sala separada, pois eram pilhas e pilhas. E, mesmo assim, passa um tempo e começa tudo de novo. Portanto, a situação é cíclica, reincidente. Muitas vezes, quando realizamos abordagens, as pessoas dizem ‘vão prender ladrão e traficantes’, mas não precisaria a BM estar intervindo nessas situações. Nós podíamos estar lá sim, prendendo bandidos e dando maior atenção para outras situações mais necessárias, mas infelizmente há uma demanda muito grande na cidade quanto a perturbação. É nosso trabalho também, é claro, atender denúncias deste tipo, pois é contravenção. Porém, a Brigada não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, e muitos se utilizam disso agindo de má fé. Outras vezes, as pessoas não nos ligam, nos denunciam. A mudança deve partir da conscientização de cada um”, disse.

De acordo com Reiben, hoje 19 câmeras de videomonitoramento estão instaladas na cidade, em pleno funcionamento. A visualização se dá na sala de operações, que possui operador 24 horas por dia. “O monitoramento está sendo bem útil para investigações da Polícia Civil e ações da Brigada, tanto no pós ocorrência quanto no momento em que está acontecendo. Estamos sendo beneficiados com essa tecnologia de ponta, não somente nós da polícia, mas sim toda a comunidade”, disse.