Ibirubá
Cotribá realiza visitas técnicas em unidades com equipe do conselho e imprensa
11 outubro 2021 | Ibirubá
Compartilhe:

 

Três dias de viagens, milhares de quilômetros rodados e várias cidades do estado visitadas pelos conselheiros administrativos e fiscais da cooperativa, e também, a imprensa regional. Durante os dias 4, 5 e 6 de outubro, esses profissionais puderam conhecer as unidades-sede da Cotribá, suas estruturas e seu quadro de funcionários, em uma iniciativa desta, que é a cooperativa agrícola mais antiga do Brasil.

A saída ocorreu no amanhecer de segunda feira (4) em Ibirubá, com a primeira parada do dia na unidade de Augusto Pestana, onde a quinze-novembrense Raquel Scheffer, coordenadora da unidade, apresentou as instalações do local. O diferencial desta unidade é o grande recebimento de sementes de canola, devido à grande produção da cultivar naquela região. Devido aos bons resultados, segundo o vice-presidente, Ênio Nascimento, o desejo é de que a Cotribá tenha sua sede própria na cidade.

Em seguida, a comitiva partiu para a cidade de São Francisco de Assis, onde quem a esperava era o prefeito da cidade, Paulo Renato Cortelini, que com seus secretários, deu as boas-vindas e apresentou o município aos visitantes.  Em comunicado, Ênio Nascimento deu uma excelente notícia a Cortelini, a de que a unidade local seria adquirida pela cooperativa, mantendo suas estruturas, quadro de funcionários e, principalmente, ajudando no desenvolvimento da cidade e da região. Para o prefeito, essa era uma notícia que se aguardava ansiosamente, e ainda mencionou para os presentes o quão importante é ter uma unidade da cooperativa no âmbito municipal. “São Chico”, como é carinhosamente chamada, é uma terra onde “o que se planta, cresce, e quem quiser investir na agricultura conseguirá colher bons frutos”.  Uma curiosidade: São Francisco de Assis é a oitava maior cidade do estado em território e destaca-se no plantio de melancias.

Após o almoço, o grupo partiu para a cidade de Santana do Livramento, encerrando o primeiro dia de viagens.

No amanhecer do dia seguinte, o grupo conheceu duas unidades da Cotribá em Livramento, uma no interior do município, onde os conselheiros e a imprensa percorreram mais de 30 km de estrada de chão, as quais em péssimas condições de trafegabilidade. O que impactou os conselheiros, porém, foi a estrutura que se tem naquele lugar, além da forma como a cooperativa está mudando a região, pois onde antes era somente pasto para criação de gado, começa a serem vistas belas plantações de trigo e um aumento no plantio de soja.

O coordenador regional da empresa, João Pitter, explica: “Estamos fomentando nesta região o plantio de cultivares de inverno, por exemplo, o trigo. Mas, especificamente na localidade de Santo Inácio, [a situação é:] esta recebeu cerca de 300 mil sacas de soja na última safra, e ela está localizada em um ponto estratégico para dar suporte ao produtor e desenvolver a região”.

Saindo do interior de Livramento, a comitiva foi para outra unidade na mesma cidade, onde o conselho recebeu uma mensagem do presidente da Cotribá, Celso Krug, e conversou com os funcionários para saber mais sobre a região e trocar ideias para conseguir fortalecer ainda mais a entidade ibirubense com os produtores locais.

Em seguida, o destino foi Rosário do Sul, onde o grupo foi recebido pelo coordenador do local, que repassou informações da unidade e fez um passeio mostrando a estrutura do local.

Dando continuidade às visitas técnicas, a próxima parada foi na cidade de São Gabriel. Com uma boa estrutura, o local recebe investimentos e consegue dar suporte para os produtores da região. A cidade vizinha de São Gabriel, a pacata Santa Margarida do Sul, possui uma unidade própria da Cotribá, que com um aparato robusto e enormes silos, tem grande capacidade de armazenamento e chamou a atenção dos visitantes. E, assim, encerrou-se o segundo dia de viagens.

No amanhecer de 6 de outubro, o último dia das visitações que cruzaram o estado de uma região à outra, a comitiva partiu de São Gabriel para a unidade de Cachoeira do Sul. Nesse local, a tecnologia implantada permite o descarregamento de caminhões em menos de três minutos. O tamanho dos silos de armazenagem e a equipe que está a conduzindo a unidade impactaram os conselheiros.

Após Cachoeira do Sul, visitaram-se as unidades de Pantano Grande, Rio Pardo e, por fim, em Santa Cruz do Sul, conhecendo-se a sede da Cotribá nesse município e encerrando as visitas técnicas.

 

Vice-presidente da Cotribá, Ênio Nascimento acompanhou comitiva de conselheiros

Quando se fala em gestores que estão lado a lado com seus associados, podemos claramente usar como exemplo o vice-presidente da Cotribá, Ênio Nascimento, que desde a saída da comitiva, em Ibirubá, esteve perto dos seus conselheiros, mostrando as unidades, trazendo informações importantes sobre a cooperativa e conhecimentos gerais para quem estava presente nessa viagem. Sempre prestativo e valorizando quem ajuda a empresa a prosperar, Ênio fez um balanço da viagem em entrevista concedida ao VR:

“Foi uma satisfação, para nós, poder realizar essas visitas técnicas, pois era um desejo dos nossos conselheiros, mas que não poderia ser feito antes por causa da pandemia. Aproveitamos a oportunidade e convidamos a imprensa para estarmos todos juntos e conhecer o que a nossa cooperativa está fazendo. Estamos satisfeitos, e pelo que notei, nossos conselheiros também, em ver os investimentos dando certo”, explica.

Com muito trabalho e planejamento, que ocorrem desde a década de 90, Ênio Nascimento explica por que a Cotribá se inseriu na região sul do estado:

“No final da década de 90, fomos para as regiões norte e nordeste do país procurar opções dentro do nosso planejamento estratégico, e após analisar, voltamos para a região sul, e observamos que esta era o melhor lugar para se investir. Com isso, a cidade de Rio Pardo foi a primeira a receber uma unidade Cotribá, depois Pantano Grande, e em seguida, São Gabriel. O que nos alegra é ver os agricultores da região pedindo que a Cotribá se instale em determinadas cidades. Abrimos fronteiras agrícolas fomentando a agricultura, aumentamos a produtividade e, principalmente, damos o suporte de que os produtores precisavam”.

Os desafios de um cooperativa do tamanho da Cotribá nunca terminam, e segundo Ênio, a intenção é poder adquirir unidades que hoje são locadas, como é o caso de São Francisco de Assis, que deixará de ser alugado e passará a ser sede própria.

O vice-presidente ainda diz que um desafio é capacitar pessoas para continuar oferecendo um bom trabalho: “Quem esteve presente nessa viagem pôde perceber que nosso quadro de colaboradores tem sangue nos olhos, com vontade e força de trabalhar, mas ainda assim, precisamos de mais gente querendo trabalhar, buscar seu espaço e preparar pessoas”.

Perguntado se estar junto nessa delegação é um diferencial do vice-presidente, Ênio diz que por ter sido fiscal e conselheiro, ele entende que o anseio do associado é muito importante: “Por já ter sido conselheiro fiscal, administrativo, e também, conselheiro da CCGL e de outras instituições, sei qual é o anseio do conselheiro, e como dizem, sou cooperativista ‘raiz’ – não fui feito em gabinete, eu sou cooperativista por conhecer como funcionam as coisas na prática, e por ter essa vivência, acabo por saber o que eles querem de nós. Isso é muito importante para mim, o envolvimento com o cooperado. Prego um cooperativismo transparente, principalmente quando a gente tem uma ligação direta com o quadro de associados”.

No final da entrevista, Ênio relembrou que na última viagem técnica com os conselheiros estava o proprietário da J.L. Publicidades, o empresário Gustavo Brenner, o qual, segundo ele, contribuiu muito com ideias e conversas que motivaram os presentes.

Conselheiros comentam como foram esses três dias de viagens:

Cerca de 24 conselheiros estavam presentes, e neste ano, as mulheres também integraram a caravana. Animados em conhecer algo que até então só viam através de fotos ou vídeos, o grupo se surpreendeu ao ver as estruturas e as possibilidades de crescimento nesses locais. Confira os depoimentos:

Taíse Caroline Schwantes, conselheira fiscal da Cotribá de Linha Pulador Sul:

“Faz um ano que estou no conselho fiscal, que busca apoiar a cooperativa, e estar junto e mais perto da gerência, saber números e dados, ou seja, fiscalizar mais de perto, é algo importante para nós. Sobre essas estruturas, eu fiquei impressionada, pois não conhecia essa região e em como a Cotribá evolui para este lado do estado, e também, [fiquei impressionada] com a tecnologia que trouxeram para essa região, ajudando no desenvolvimento, [além do] passeio em si, [que foi] muito divertido”.

Ingo Allert:

“Sendo presidente do conselho consultivo, um grupo que é formado por 80 pessoas, a gente foi convidado para acompanhar essa viagem organizada pela Cotribá, em que visitamos várias cidades e percebemos que todas as unidades possuem alta tecnologia e estão preparadas para receber o agricultor.

Soraia Rebelato:

“Como conselheiros, tínhamos a vontade e o desejo de conhecer de perto essas unidades para a gente ver com os próprios olhos como estão os investimentos feitos, e até porque, muitas vezes, somos focados só em nossa região. Você vendo, e olhando, temos uma percepção diferente, e a viagem foi muito legal e produtiva.”