Brasil
Dia da Advogada 2021: pela primeira vez na história, elas são a maioria na advocacia brasileira
15 dezembro 2021 | Brasil
Compartilhe:

Izabela Rücker Curi comanda escritório de advocacia que tem 52,63% do quadro de associados composto por mulheres.
Vinícius Sgarbe

De acordo com o Quadro da Advocacia, atualizado diariamente pela OAB Nacional, existem hoje 623.681 advogadas mulheres atuantes no país contra 615.697 advogados homens

Hoje, 15 de dezembro, é celebrado em todo o Brasil o Dia da Advogada. E pela primeira vez na história da advocacia brasileira, a data será comemorada com supremacia feminina. Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), elas representam atualmente a maioria das inscrições ativas: são 623.681 advogadas mulheres contra 615.697 advogados homens. Elas são a maioria, por exemplo, em estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Bahia.

Em mais de 90 anos de história, a OAB sempre foi predominantemente composta por advogados homens. Em maio de 2021, o cenário mudou radicalmente: com uma diferença mínima de 188 cadastros, elas passaram à frente – e se mantêm nessa posição até hoje, com uma margem cada vez maior. Um exemplo dessa hegemonia feminina no Direito é o escritório Rücker Curi Advocacia, com atuação nacional e sedes em Curitiba (PR) e São Paulo (SP). Hoje, 52,63% do quadro de associados é composto por mulheres advogadas. A começar pelo comando do escritório, ocupado pela advogada Izabela Rücker Curi.

Há 25 anos atuando como advogada para corporações, Izabela é a sócia fundadora do escritório e acompanhou de perto a evolução da presença feminina nesta área. “Ainda que o número de mulheres tenha evoluído, considero que ainda não chegamos no cenário ideal – ainda somos minoria entre os cargos de chefia, por exemplo. Mas com certeza, com cada vez mais presenças femininas neste universo, vamos mudar esse quadro”, afirma.

Seccionais da OAB têm mulheres no comando

Nas eleições deste ano para o comando das seccionais da OAB, muitas vitórias inéditas. Depois da aprovação da paridade de gênero pelo Conselho Federal da OAB em dezembro de 2020, diversos estados elegeram mulheres para os cargos de presidência. Na OAB-SP — a maior seccional do país — Patricia Vanzolini foi eleita e comandará a entidade no próximo triênio.

Na Bahia, Daniela Borges e sua vice, Christianne Gurgel, receberam 50.83% dos votos. Já em Santa Catarina, a presidência será comandada pela advogada Claudia Prudêncio, que conquistou 47,51% dos votos válidos.

Porcentagem ainda maior foi a de Marilena Winter, futura presidente da OAB-PR, que recebeu 59,68% dos votos. E no Mato Grosso, Gisela Cardoso será a segunda mulher a assumir o comando da entidade. Maria Helena Póvoas foi a primeira, entre 1993 e 1997, e hoje é a atual presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.