Esporte Ibirubá
Elas são ouro Atletas ibirubenses se destacam em campeonato mundial de artes marciais
29 novembro 2021 | Esporte Ibirubá
Compartilhe:

As lutadoras ibirubenses Cristiane Silva e Fabiane da Silva mostraram, mais uma vez, que com foco, determinação e muito treino, chega-se aos objetivos desejados.

Durante os dias 20 e 21 de novembro, as atletas foram até a cidade do Rio De Janeiro para participar do Campeonato Mundial de Artes Marciais, evento que aconteceu, pela primeira vez, em solo brasileiro.

Mesmo enfrentando algumas dificuldades para conseguir arrecadar valores que custeariam as suas despesas durante o período de competição, as gurias não baixaram a cabeça, focaram em treinar e se aperfeiçoar para fazer bonito no mundial. E elas fizeram: foram dias de muita luta, literalmente, muito suor e golpes, mas também, de muitas vitórias. Ao todo, foram sete medalhas, sendo seis de ouro e uma de bronze.

A atleta Fabiane da Silva lutou na categoria Médio e conquistou três títulos, sendo de Point Fight, Light Contact, Kiki Light, e  Cristiane Silva, a Alemoa, disputou os mesmos títulos, mas em categorias diferentes, sendo no peso leve nas categorias adulta e master, em que lutou com mulheres de várias idades.

Nada mais justo que essas meninas de ouro fossem reconhecidas e homenageadas pelas ruas da cidade. Isso aconteceu na tarde de quarta-feira (24), quando as atletas desfilaram em cima do caminhão do corpo de bombeiros pelas ruas da cidade, acompanhadas de uma carreata.

Pela primeira vez em um campeonato, a atleta Fabiane voltou para casa com três medalhas de ouro, o coração repleto de gratidão e projetando novos sonhos:

“Estou muito feliz e só tenho a agradecer a Deus e à Cris por me apoiar e acreditar em mim em todo momento, me ajudar em todas as lutas e fazer com que eu pensasse só nas vitórias. Foram mais de nove lutas, uma atrás da outra. Chegou um momento em que sentia muita dor e me questionei se conseguiria lutar, e a minha treinadora, a Cris, me disse: ‘traz mais uma medalha pra mim!’. Mesmo cansada, eu olhei pra ela e disse: ‘vou te dar mais uma medalha!’, e elas estão aqui comigo”.

Para a atleta e treinadora Cris, ela chegou em um dos momentos mais importantes de sua carreira, com títulos e o reconhecimento da sociedade: “Um dos momentos que mais esperava em minha vida de atleta e profissional do esporte chegou, que é o reconhecimento da sociedade. ‘Passou um filme na minha cabeça’, por tudo que passei, dos olhares tortos, dos comentários maldosos e das dúvidas de muitas pessoas em confiar seus filhos à minha pessoa para praticar alguma aula, mesmo sem me conhecer verdadeiramente. Hoje, com ajuda das pessoas, com o reconhecimento e carinho, eu posso dizer que encerro minhas participações em campeonatos”.

Mas, para quem pensa que essa dupla para por aqui, engana-se: segundo Cris, Fabiane terá de “carregá-la” em outros campeonatos, visto que ela continuará sendo sua treinadora. E Fabi, devido aos bons resultados no mundial, recebeu o convite para participar do Sul-Americano de Artes Marciais em Cascavel, no Paraná, em 8 de dezembro. Além disso, a faixa-preta Cris disse que um dos seus objetivos é conseguir levar sua pupila, Fabiane, para os Jogos Olímpicos em Paris, na França, em 2024.