Agricultura
Emater comemora os 69 anos da Extensão Rural no Brasil
9 dezembro 2017 | Agricultura
Compartilhe:

Presidente Clair Kuhn representou as Emateres de todo o Brasil junto ao Senado

O Presidente da Emater-Ascar/RS, Clair Tomé Kuhn, representou os presidentes das Emateres de todo o Brasil durante homenagem aos 69 anos da Extensão Rural, realizada junto ao Senado brasileiro na manhã de segunda-feira (4). Kuhn é vice-presidente da região Sul da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer) e, juntamente com a Frente Parlamentar de Extensão Rural, comemorou a data homenageando durante um discurso de cinco minutos, no ato solene transmitido para todo o Brasil, os extensionistas de todos os Estados onde há Extensão Rural e Social, a exemplo da Emater/RS.

Na ocasião, foi homenageada a extensionista rural gaúcha Elisângela Froelich, representando todos os seus 2.200 colegas brasileiros. Em seu discurso, Clair parabenizou a colega pela merecida homenagem recebida e enfatizou a importância da força da mulher no trabalho do meio rural.

Ainda durante seu pronunciamento, enfatizou que a extensão rural fez toda a diferença no desenvolvimento de sua família, por ser filho de pequeno produtor que possuía apenas 13,5 hectares no interior de Ibirubá, em Esquina Kappaun. “Que bom que temos o Bolsa Família para dar a quem precisa, mas que bom que temos a extensão rural para levar condições adequadas para que o agricultor possa produzir alimentos de qualidade não só para si e sua família, mas também para levar ao mercado e garantir assim maior rentabilidade e poder sair, quem sabe, daquela situação de demandador do Bolsa Família para produtor de alimentos para o Bolsa Família. Estas são as pessoas que fazem a extensão rural no Brasil, estes são nossos extensionistas, que não levam o peixe pronto, mas sim levam a vara, a linha e o anzol e ensinam nosso produtor a pescar, a filetar e ainda a achar o mercado de venda. Esta sim é nossa função, dar as condições para a melhora da qualidade de vida de cada agricultor”, disse.

Kuhn falou, ainda, sobre a necessidade de uma maior disponibilização de recursos para a Agricultura Familiar brasileira: “Tenho muito orgulho de ser presidente da Emater/RS, e, mesmo com toda a dificuldade financeira, estamos conseguindo fazer um bom trabalho. Mas, temos de chamar atenção para a questão federativa: o nosso Governo Federal tem que ajudar mais, precisamos passar mais recursos para as Emateres do Brasil, pois elas fazem toda a diferença. Hoje, tenho certeza que 70% do que chega até a mesa dos consumidores tem sim nome e sobrenome: agricultura familiar. E este nome e sobrenome necessita de socorro financeiro, precisa se emancipar socialmente, pois faz parte da sociedade. E, cada agricultor, por menos que seja sua propriedade, pode vir a ser um grande produtor tendo acesso às nossas tecnologias, às nossas informações”, destacou.

Clair ainda reiterou a importante questão da permanência dos jovens no meio rural: “Encerro dizendo que o melhor emprego do mundo para um jovem é ser dono de seu próprio negócio. Hoje, 16% da população vive no meio rural, e, num primeiro momento, isso pode parecer ruim, mas vamos ver isso por um outro prisma: nós, da extensão rural olhamos isso como uma grande oportunidade, pois, se 16% tem condições de produzir alimentos para o restante da nação, vamos fazê-lo, mas, para isso, precisamos de recursos, aliados ao nosso trabalho e dedicação. E viva a extensão rural no Brasil!”, encerrou o presidente da Emater.