Saúde
Falando sobre a tireoide
21 maio 2017 | Saúde
Compartilhe:

A tireoide é uma glândula em formato de borboleta (com dois lobos) que se localiza na parte anterior do pescoço, abaixo do Pomo de Adão. É a glândula responsável pela produção dos hormônios T3 (Triiodotironina) e T4 (Tiroxina), que garantem o equilíbrio em todo o organismo. Ela atua diretamente no crescimento e desenvolvimento de crianças e de adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor e no controle emocional.

Quando a tireoide não funciona corretamente, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente (Hipotireoidismo) ou em excesso (Hipertireoidismo). Esses problemas podem ocorrer em qualquer etapa da vida, e são fáceis de diagnosticar e tratar.

Além das alterações funcionais, a tireoide também pode apresentar alterações texturais, como a formação de cistos ou nódulos. Ambos, em sua maioria, são de etiologia benigna, porém é necessária uma avalição médica para descartar a presença do câncer de tireoide, que vem aumentando sua incidência progressivamente. Esse aumento na sua incidência ainda não tem causa definida. Porém, há fatores de risco bem estabelecidos que aumentam a probabilidade de um nódulo ser maligno, entre eles:

  • Exposição à radiação (técnicos radiologistas, dentistas, cirurgiões com exposição frequente e sem proteção; pacientes que realizaram radioterapia envolvendo o pescoço no campo irradiado, como no tratamento dos tumores de cabeça e pescoço, mama e pulmão; pessoas expostas à radiação em áreas de acidentes nucleares)
  • Presença de doenças genéticas
  • Idade e sexo, sendo mais frequente nas mulheres entre os 30 e 50 anos de idade

Como a tireoide é composta de diferentes células, o câncer pode ter origem em qualquer uma destas, dando origem aos diferentes tipos de tumores malignos da glândula, com diferentes taxas de cura e controle. O mais frequente é o Carcinoma Papilífero que corresponde a 80% dos casos, seguido do Carcinoma Folicular, dos Carcinomas Medulares de Tireoide e Anaplásicos. Sendo o último o mais agressivo, de pior prognóstico e felizmente o mais raro. No geral, os carcinomas de tireoide estão entre os tumores menos letais, com taxas de sobrevida em cinco anos de 97%.

Sinais e sintomas do câncer de tireóide

  •  Nódulo no pescoço;
  • Dificuldade de deglutir;
  • Dificuldade para respirar;
  • Rouquidão ou tosse persistente sem quadro gripal associado;
  • Dor na parte da frente do pescoço.

O diagnóstico dos nódulos de tireoide é feito pelo exame físico, ultrassonografia de tireóide. A definição do tipo de nódulo é feito basicamente pelo exame de Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF). Caso haja confirmação do câncer de tireoide, o pilar principal do tratamento é a remoção cirúrgica do tumor e a complementação do tratamento com Radioiodoterapia, e, se necessário, a reposição hormonal de Levotiroxina.