Grandes mudanças previstas para trânsito no centro de Ibirubá
18 março 2018 |
Compartilhe:

Ruas importantes passarão a ter apenas um sentido

Ibirubá – Os resultados positivos de modificações recentes no trânsito da cidade, mais a necessidade de adaptação frente ao aumento da frota de veículos, fizeram com o Conselho Municipal de Trânsito (Comutran) desengavetar antigos projetos, que prometem alterar bastante o fluxo nas ruas centrais. A questão vem ganhando debate há bastante tempo.

Em reunião ocorrida na noite de terça-feira, 13, na Delegacia de Polícia Civil, o prefeito Abel Grave e representantes do conselho discutiram novas ideias e avaliaram recentes ações, especialmente a mão única na Rua do Comércio e a criação de vagas de estacionamento. Foram criadas 70 vagas de estacionamento em um pequeno trecho de 500 metros.

Agora, decidiu-se por ampliar as mudanças em várias ruas de um quadrilátero formado pelas ruas Três de Outubro, Serafim Fagundes, Dumoncel Filho e Rua do Comércio. O projeto prevê mão única também para as seguintes ruas:

  • Serafim Fagundes
  • Tiradentes
  • Diniz Dias
  • Flores da Cunha
  • Getúlio Vargas
  • Flores da Cunha

As quatro primeiras são transversais às principais, a Rua Sete de Setembro e a General Osório. A Getúlio Vargas e a Flores da Cunha são paralelas. A Dumoncel Filho e a Três de Outubro, também paralelas, seguem com dois sentidos.

A implantação das mudanças deve ocorrer no Dia do Colono e do Motorista, 25 de julho. A Prefeitura precisa de prazo para licitar o material da sinalização vertical e horizontal, fazer a instalação e, é claro, de um período de divulgação e adaptação dos condutores.

“O trânsito de Ibirubá tem muitos gargalos, vai melhorar a fluidez e aumentar o número de vagas de estacionamento”, pondera a presidente do Comutran, Ione Marques de Oliveira, proprietária do CFC Jeremias.

Essas medidas sugerem a implantação de medidas graduais no trânsito de Ibirubá, culminando com a municipalização, que demanda a contratação de agentes e a criação do estacionamento rotativo. Os projetos existem há muito tempo.

Certamente vem muita polêmica por aí, mas são medidas necessárias e a população deve entender que não são mudanças definitivas, e sim parte de uma transformação pela qual o ambiente urbano passa. Boa análise rende o fato de que, com a mão única da Rua do Comércio, reduziram bastante as reclamações de baderna – o que parece já ter sido esquecido.

Ione Marques de Oliveira, presidente do Comutran

Outras medidas

O Comutran pretendia ainda sugerir a proibição do estacionamento no lado esquerdo das ruas General Osório e Sete de Setembro, o que voltará à pauta somente depois do dia 25/7.

O estacionamento da Rua do Comércio também deve ser modificado. Especialmente perto das esquinas, o ângulo muito aberto do estacionamento oblíquo atrapalha a visão e as manobras na conjunção com a Sete e a General Osório. Este ângulo deve ser reduzido ou eliminadas algumas vagas perto das esquinas.

Outra demanda premente é na altura da sinaleira da Rua Mauá com a Avenida Brasil (Regional da Mauá). Será proibida a conversão à esquerda nos quatro sentidos, também a partir do dia 25 de julho.