Heróis dos quadrinhos levam alegria a crianças internadas
10 junho 2017 |
Compartilhe:

Uma cena inusitada chamou a atenção em Passo Fundo numa dessas tardes chuvosas. Mesmo com o mau tempo, dois super heróis dos cinemas e quadrinhos cruzavam as calçadas e avenidas principais, nada mais, nada menos que o Capitão América e o Homem Aranha, realmente ali, carne e osso. A dupla fez sucesso e gerou comentários e piadas sobre o paradeiro e a identidade da dupla misteriosa.

Bom, a história é interessante e revela uma boa mensagem. Os personagens cumpriam naquele 31 de maio mais uma a missão: levar alegria e esperança para as crianças internadas nos hospitais da cidade, referência em saúde na região Norte do Estado e mesmo na região Sul.

A Reportagem do VR conversou com Alencar Wentz Júnior (o Capitão América), morador de Não Me Toque, mais conhecido como Júnior Wentz. Dono de academia, ele explicou o projeto e como surgiu a ideia, agora com o apoio do vigilante Maicon Douglas de Jesus (Homem Aranha), ajudante e amigo que também reside em Não-Me-Toque.

Junior destacou ao VR que nasceu e foi criado no interior. De família humilde, nunca teve brinquedos iguais aos dos colegas, e, portanto, sempre ficou na vontade de ter bonecos de super heróis. Jurou que teria a sua própria coleção de bonecos. Hoje, aos 35 anos, as imagens dos super heróis preenchem uma parece da academia do qual é sócio proprietário. Através da aquisição dos bonecos, veio também a vontade de ter um traje de super herói em benefício das crianças.

“O projeto iniciou há cerca de um ano. Nunca pensei em tirar proveito financeiro com o uso da roupa, meu objetivo sempre foi visitar as crianças nos hospitais. Neste um ano, já alcancei hospitais de todo o Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Através das redes sociais, o pessoal foi conhecendo meu trabalho e auxiliando nos custos com hotéis e combustível através de parcerias. Além das visitas nos hospitais, trabalho com palestras motivacionais nas escolas, em turmas do pré até o último ano do ensino fundamental, utilizando didáticas diferentes e relatando exemplos reais quanto a minhas visitas. Isso faz com que eles se motivem mais a estudar, obedeçam mais e se tornem pessoas melhores”, disse.

No início, houve gozação. “Logo que contei que ia adquirir a roupa, muitos zombaram, falaram na vergonha de um ‘marmanjo’ como eu vestido de super herói. Ouvi de tudo, passei por muita coisa, mas posso dizer que muitas pessoas que tiravam sarro hoje estão ajudando e colaborando com o projeto. Sempre tive a convicção de que, quando pisasse num hospital pela primeira vez, ia causar alvoroço e ajudar na parte psicológica da recuperação das crianças. Hoje, minha maior recompensa é receber a ligação das enfermeiras parabenizando pelo meu trabalho e dizendo que a criança teve uma melhora significativa ou até saiu do hospital”, disse, emocionado.

Wentz contou que o sucesso não é somente com as crianças: os adultos também se empolgam quando encontram os super heróis. “Quando veem a fantasia, os adultos começam a tirar a criança que têm dentro de si, e tudo vira uma festa. Na última vez que estive no hospital, tirei mais fotos com os médicos e enfermeiros do que com as próprias crianças”, relatou.

Em suas duas últimas visitas, Wentz contou com o auxílio do amigo Maicon, mais conhecido como Maicon Tubarão, ou Tuba, para os mais chegados. Embora a roupa do Homem Aranha seja de Júnior, Maicon topou o desafio de levar alegria e esperança a essas crianças. Juntos, os dois fazem visitas ao Hospital da Cidade e São Vicente de Paulo e visitam todas as alas, incluindo a oncológica, em tratamento de câncer. “Temos que fazer o possível para ficar o mais parecido possível com os super heróis e agradar os pequenos. Porém, o mais importante é arrancar o sorriso de cada uma delas, isso é o que gratifica mais”, disse Maicon.

A repercussão foi tanta que, na sexta-feira (2), a dupla, em visita ao Hospital da Cidade, gravou entrevista para a RBS TV, que acabou exibida no último sábado, no Jornal do Almoço. “O sonho do menino pobre finalmente se concretizou depois de tanto tempo, e, com isso, consigo ajudar cada vez mais pessoas. Minha ideia tomou uma abrangência gigante, que nem eu tinha noção que seria assim. Sempre utilizo a seguinte frase: sempre fazer o seu melhor, nas condições que você tem. Tenho a roupa, e muita vontade de ajudar, e isso me faz muito bem”, finalizou.

Como colaborar?

A dupla, além de levar alegria e esperança aos pequenos dentro dos hospitais, também distribui brinquedos. Para tanto, contam com doações e ajuda da comunidade, que doa os brinquedos. E a boa notícia é que pessoas que desejam colaborar com este bonito projeto em Ibirubá, Selbach e Tapera também podem fazê-lo. Doações de brinquedos novos ou usados em bom estado podem ser feitas para Patricia Amaral dos Santos, namorada de Maicon. Quem desejar contribuir pode contatá-la através do telefone ou whatsapp 99164-5077. Patricia se disponibiliza a buscar as doações nesses municípios e levá-las até Não Me Toque, de onde serão redistribuídas aos pequenos nos hospitais.

De toda esta história, fica uma bela lição: além de levar brinquedos a crianças doentes, o Capitão América e o Homem Aranha conseguem levar também esperança, cainho, abraços, conselhos e coragem para acreditar que nada é impossível.