Quinze de Novembro
O robô tira o leite
5 fevereiro 2021 | Quinze de Novembro
Compartilhe:

A opção pela tecnologia mudou radicalmente a rotina na propriedade Weimer

O sucesso do agronegócio se da pela persistência, dedicação e capacitação das famílias que residem no campo, e no município de Quinze de Novembro a família Airton Weimer juntamente com sua esposa Adriana Weimer e filhos do casal Andressa Weimer, Alex Weimer e Angélica Weimer , administram uma propriedade que se tornou referência regional na lida com o tambo de leite, visando  ter melhor qualidade de vida e de trabalho a família em um robô que facilita o trabalho com o gado leiteiro e gerando assim maior produtividade.

“Foi através da internet que tivemos as primeiras informaç

ões sobre os robôs que ajudam no trabalho com o gado leiteiro, ao assistir vídeos e ler reportagens de como eles funcionavam, fomos atrás de mais informações e visitamos propriedades que já trabalhavam com essa tecnologia para conhecer de perto esse serviço e sanar algumas dúvidas para saber se seria interessante investir esses robôs em nossa propriedade, e por fim decidimos encarar esse desafio e hoje estamos extremamente contentes com a escolha”. Afirma Airton

Com o aumento significativo na produção de leite e também melhorando a qualidade de vida da sua família, Airton não se arrepende do investimento feito e ainda prospecta para um futuro próximo ter mais um robô, pois deseja aumentar o plantel de animais em lactação:

“Atualmente são em torno de 60 vacas em lactação, dentre elas, algumas produzem até 70 litros leite dia, e desde que instalamos o robô, e mudamos a forma de manejo tivemos aumento significativo no número de litros e gerando um lucro maior, mas para obter esse aumento na produção, mudamos o manjo dos animais, hoje em dia as vacas não passam seus dias soltas em pastos, pois as mesmas estão confinadas em um galpão, com ventilação 24 horas por dia e uma escova giratória que realiza uma escovação em suas costas deixando o animal menos estressado, além de uma alimentação adequada.

Mas também ganhamos e muito em qualidade de vida, pois esse serviço de tambo de leite está sob o comando da minha esposa e das minhas filhas, nós trabalhamos com tambo de leite aproximadamente uns 6 anos o qual era  um serviço muito  pesado e cansativo e de domingo a domingo, mas agora com o robô se tornou um serviço mais leve e menos estressante, e com isso  sobra mais tempo para minha família aproveitar o dia a dia e as meninas podem me ajudar na parte administrativa da propriedade, pois para os planos de um futuro é adquirir mais um robô e aumentar o número de animais em lactação”.

Cheias de leite no úbere, as vacas vão se aproximando sozinhas da sala de ordenha instalada no pavilhão. Assim que um animal passa a porta de entrada e se acomoda dentro da estrutura, um braço robótico começa a atuar. Em questão de segundos, a máquina encaixa as teteiras, por onde passarão litros do líquido com destino ao tanque resfriador. Enquanto isso, os demais gados aguardam, do lado de fora, a vez para serem ordenhados. Tudo acontece espontaneamente, sem interferência humana.

 ”Com o robô, a vaca é mais ordenhada, de duas a quatro vezes por dia”. Como ela vai à sala no horário que preferir, aumenta o conforto do animal. Isso gera um incremento médio de 10% na produtividade, que pode variar em cada propriedade – avalia Airton.

Airton e família foram entrevistados pela equipe do Jornal Visão Regional, para você acompanhar nossas entrevistas ao vivo, basta curtir nosso canal do Youtube:

https://www.youtube.com/watch?fbclid=IwAR3mhrpb6C8T7uuCAgg4SXTE-YYfuX8XtPnZC_CnumXvuAdsPrioY1iDmJY&v=2-3TTJeWtUs&feature=youtu.be&ab_channel=Vis%C3%A3oRegional