Tapera
Produtor e músico comenta impactos da pandemia no Setor de Eventos
30 outubro 2020 | Tapera
Compartilhe:

Tudo parou em março de 2020, quando as autoridades anunciaram entre várias medidas o cancelamento total de todos os eventos, até hoje. Os trabalhadores deste setor, tentaram se adaptar fazendo lives, música a domicílio, e foram se reinventando e tentando achar uma forma para passar por esse momento.  Mas mesmo assim, a renda ficou muito reduzida, pois a maior parte dos eventos era de forma gratuita, ou seja, para entidades beneficentes.

O Jornal da Integração conversou com Arlei José Zamboni, Músico, Assessor e Produtor de Eventos, Cerimonialista e Mestre de Cerimônias, Agenciador de Bandas, Trios e Duplas, Djs, Sonorização e Iluminação em Palestras, Feiras, Eventos Corporativos, Produção de Jingles e Comerciais para Mídia. Conforme Arlei, o impacto deste Setor foi total: “Fomos o Setor mais atingido, o primeiro que parou e o último que irá retornar. A Covid trouxe o caos para o nosso setor. Com as medidas de isolamento social impostas para tentar deter o avanço rápido do contágio, simplesmente tivemos todos os eventos cancelados”, frisa.

Ainda conforme Arlei, “no início ficamos apavorados, imagina tudo parar de repente, ninguém sabia o que fazer e como pagar as contas no final do mês, afinal nosso ganha pão são os eventos”, ressalta.

“Sinto falta da energia das pessoas, do aperto de mão, do calor humano, dos eventos de casa cheia, com muita música, alegria e diversão.  Para as pessoas é o momento de diversão e para nós o momento de trabalho”, comenta Arlei.

Sobre as chances de “tudo voltar ao normal”, o Músico/Produtor, opinou: “Na minha opinião os eventos deverão voltar gradativamente, com cautela, afinal precisamos trabalhar. Nosso sustento depende desse serviço.  Acredito que quando liberar irá começar de forma gradativa com número de pessoas reduzidas e aos poucos ir voltando ao normal. Mas essa é minha opinião, não sei como realmente será.  Claro que a saúde está em primeiro lugar sempre, isso é indiscutível. Normal mesmo somente depois da vacina. O momento é de valorizarmos o comércio local, valorizarmos os músicos locais, os prestadores de serviços em geral. Acredito que no próximo ano enfrentaremos bastante dificuldade, então o momento é de nos ajudarmos e valorizarmos o que temos aqui em nosso município”, diz Arlei.

“Devemos continuar acreditando que dias melhores virão e que voltaremos ao novo normal. Não sabemos ainda exatamente como será, na verdade ninguém sabe. Um grande abraço a todos os meus colegas músicos e boa sorte a todos”, finaliza.