Registros oficiais mostram que número de homicídios reduziu significativamente na região
30 setembro 2017 |
Compartilhe:

Delegado Jader Ribeiro Duarte

Polícia Civil divulgou dados da criminalidade e ações policiais

Os números comprovam o impressionante aumento de prisões nos últimos dois anos e a consequente redução da criminalidade nos 16 municípios que compõem a 24ª Região Policial de Soledade.

O Delegado de Polícia Jader Ribeiro Duarte forneceu dados estatísticos que demonstram o que as populações destas regiões já haviam percebido: as polícias aumentaram e muito, o número de operações, prisões em flagrante e captura de foragidos.

Jader forneceu informações que são públicas no site da Secretaria da Segurança Pública do Estado, onde estão os números de crimes por município, mês a mês, desde o ano de 2002 até o 1º semestre de 2017.

Em 2015 foram contabilizadas 550 prisões. Em 2016, 274. E no presente ano, somente no 1º semestre, foram efetuadas 433 prisões.

O delegado afirmou ter aguardado dois anos de sua gestão na Regional para realizar análise dos resultados obtidos, pois entende que com este período já é possível verificar erros e acertos das estratégias adotadas. “Acredito que a análise por dados é a mais fiel, pois foge de simpatias e torna impessoal a verificação dos resultados do trabalho”, analisa.

A principal constatação é de que o número de operações e ações policiais resultaram num aumento muito grande de prisões, tanto que neste período realizou-se prisões equivalente aos dez anos anteriores somados, ou seja, multiplicou-se por cinco a efetividade policial.

Para o delegado, este diferencial deveria ser melhor explorado pelas lideranças locais. “Soledade e toda essa microrregião aparece como a que mais reduziu homicídios na última década em todo o Estado e (como) a 4ª em todo o Brasil. Quando contabilizarem os números destes dois últimos anos, olhando a tabela da SSP/RS, acredito que talvez possamos alcançar o 1º lugar no Brasil neste quesito”.

A ação policial valoriza-se ainda mais frente à redução dos efetivos da Polícia Civil e da Brigada Militar, a níveis históricos. Dentre todas as 29 regiões policiais no Estado, a 24ª possui o menor efetivo policial, com onze delegacias para atender os municípios.

O Policial volta a ressaltar a importância da integração com a Brigada Militar e o Ministério Público, bem como a confiança e apoio do Poder Judiciário nos projetos. A Juíza da Comarca e Tapera, Marilene Parizotto Campagna, destinou recentemente verba para aquisição de um fuzil para a Polícia Civil; a juíza de Soledade, Karen Pinheiro, fez o mesmo para a compra do etilômetro e conserto de viaturas, o juiz de Arvorezinha, Enzo Carlo Di Gesu, destinou o dinheiro para reformar a DP daquela cidade; a Justiça do Trabalho de Soledade financiou aquisição de equipamentos de investigação eletrônica, a colocação de alarmes e vídeo câmeras em todas as delegacias da Regional.

Em todos esses casos, o Ministério Público indicou estes investimentos e os Magistrados anuíram. “Cada um de nós é uma peça nesta engrenagem. Se um não funciona bem, compromete o funcionamento do todo. Somente unidos poderemos conter a criminalidade. Se houver ruptura, é a sociedade quem pagará”, frisou Duarte.