Educação
Reunião da Rede de Apoio à Escola (RAE) ocorreu em Ibirubá
13 outubro 2021 | Educação
Compartilhe:

Na quarta-feira (6), junto à Câmara de Vereadores de Ibirubá, uma reunião com os representantes da Rede de Apoio à Escola (RAE) contou com a presença do secretário de Educação municipal, Henrique Antônio Hentges. A pauta da reunião abordou os alunos em busca ativa, alunos que demandam uma atenção especial, alunos que não estão frequentes ou devolvendo as atividades propostas por seus professores.

O grupo é formado por vários segmentos da sociedade que se reúnem para discutir e elaborar alternativas para melhorar a frequência, a indisciplina, a aprendizagem, dentre outras situações, em prol do atendimento aos estudantes. A RAE está ativa em nosso município desde 20 de março de 2013, sendo constituída por representantes das entidades Conselho Municipal de Educação; Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Turismo e Desporto; escolas municipais; escolas estaduais, rede privada e Instituto Federal; COMDICA; Conselho Tutelar; Promotoria Pública; Secretaria de Saúde; Secretaria de Assistência Social; PIM; Polícia Civil; Brigada Militar e outros segmentos da sociedade. Em conjunto, pretendem, de forma interdisciplinar, a partir da realidade e visão de cada um, procurar uma maneira de tornar esta busca ativa mais eficaz, otimizando a aprendizagem dos estudantes.

Desde a sua criação, a Rede tem a coordenação da professora Tatiane Fontana Oliveira. “É como se fosse um conselho. É um grupo de pessoas de vários segmentos da sociedade que se reúnem, a cada três meses, em prol de realizar uma proteção integral ao estudante, melhorando a aprendizagem e diminuindo a infrequência. Agora, neste contexto de pandemia de covid-19, os desafios são ainda maiores, na busca por maneiras de potencializar a aprendizagem dos alunos e auxiliar aqueles que, por vários motivos, não frequentam as aulas presenciais e não realizam (ou realizam parcialmente) as atividades remotamente”, explicou ela.

São muitas mudanças educacionais e sociais neste contexto de pandemia: inclusão de aulas não presenciais, inclusão do sistema híbrido de ensino, isolamento social, uso de máscaras, mudanças nas normativas relacionadas à educação, novos hábitos e costumes, mudanças na Ficha de Comunicação do Aluno Infrequente (FICAI) e no modo de relacionamento com os alunos e suas famílias.

Houve, nas esferas municipal, estadual e nacional, um longo período de aulas não presenciais, remotas. A realidade financeira de muitas famílias mudou, alguns perderam seus empregos, outros migraram para outras cidades. São várias mudanças e transformações da realidade a que se tinha costume antes.