Ibirubá
SOJA: Ibirubá deve superar as expectativas e ter uma supersafra
19 fevereiro 2021 | Ibirubá
Compartilhe:

No início do plantio da Soja, as notícias sobre o clima não eram da mais animadoras para os produtores do estado, na época as informações eram de que o clima poderia prejudicar o plantio da planta, pois o que se esperava era uma época de seca, no início se teve  se teve períodos de sol forte e pouca chuva, o que preocupava os produtores, porém no passar dos meses  e no desenvolvimento da planta o clima ajudou, a chuva voltou com frequência e em boa quantidade trazendo esperança e otimismo para os agricultores.

Em Ibirubá, região noroeste do estado do RS, a perspectiva é de que em algumas lavouras sejam colhidos até 80 sacas por hectares, fazendo desta safra uma supersafra, como explica o Sócio proprietário Epagre Projetos e Assistência Técnica Ltda Márcio Ücker “ 

 

“ Realmente quando iniciamos o plantio da safra a previsão de um período seco, e quando existe a possibilidade de acontecer esses fenômenos deixo claro para os produtores que pode existir uma produção muito baixa ou de fato uma produção muito elevada,  mas o que aconteceu é que nos  meses de novembro e dezembro houve pouca precipitação de chuva e já estávamos muito receosos  e a perspectivas para meses seguinte era de pouca quantidade de chuva também, o que não se concretizou, pelo contrário, janeiro foi muito bom em relação a chuva e fevereiro está seguindo no mesmo caminho  podemos ter a certeza que esse ano uma supersafra acontecerá”.

As lavouras do estado como um todo projetam boas colheitas, como relata Márcio:

 

“Devido ao fato de nossa empresa atender todas as regiões do estado, podemos afirmar que em nenhuma região as lavouras estão em com uma situação crítica, pelo contrário, as perspectiva são de boas colheitas, mesmo tendo 30 a 40 dias pela frente que vai determinar toda a produção de soja, talvez em março possa diminuir a quantidade de chuva, mas levamos em conta que a nossa produção  de soja é precoce, podemos ter esperança que uma boa colheita irá acontecer”.

A média geral de sacas no estado deve chegar entre 65 a 75 por hectares, como explica o empresário:

“  Se o clima continuar se mantando dessa forma em nossa região a  média será de 65  a 70 sacas por hectares média geral de lavoura , saliento em média pois devemos levar em consideração o seguinte, existem lavouras que vão conseguir colher  de 80 até 90 sacos e tem outras que vão ter em torno de 40 a 45 sacos, pois existe essa disparidade de produção, onde existem produtor que fazem mais investimento em produtos top de linha e outros fazem o trabalho básico, e nossa região do Alto Jacuí nossa colheita deverá ser destaque no estado, devido a qualidade do solo, o tempo que as lavouras já estão plantadas, a tecnologia adubação, palhada.”

 

Os valores pagos trazem contento aos agricultores:

“Se torna complicado falar de valores pois o mercado ainda é instável, e a prova disso é que até meses atrás não se cogitava vender a saca de soja a R$ 160,00 ou até mais, mas o que eu posso dizer é que esta estabilidade do mercado vai continuar por uma boa parte do ano e mantando valores semelhantes com o que encontramos hoje, e olhando o cenário atual, a perspectiva é muito boa, não vejo tendência de queda brusca nos preços”, comenta Márcio

 

A comercialização da soja para o exterior continua garantida:

“Nossa maior comercialização é a venda do produto para o mercado exterior, principalmente para a China o principal comprador, e o país vai continuar adquirindo nossa soja, a tendência é que todos os produtos que forem produzidos aqui sejam consumidos tanto pelo mercado externo quanto interno, mas principalmente o externo, fazendo a economia girar e fortalecendo o agronegócio”. Explana

 

Lavouras sob os cuidados da Epagre possui um diferencial:

“ As lavouras assistidas pela Epagre tem no seu diferencial o seguinte, como não trabalhamos com a comercialização de produtos e insumos, nosso serviço junto ao produtor é realizar uma consultoria técnica no campo, como não estamos vinculados a empresa e a vendas de produtos conseguimos dar a recomendação  do que ele precisa para aquela lavoura para ter uma boa produção, então ao  se observar as lavouras dos produtores onde realizamos consultorias a produção vai ser maior do que as demais onde se é colocado  diversos produtos que não funcionam”. Diz, Márcio

 

Alerta aos produtores em relação a próxima safra

Desde dezembro já alertava os produtores em relação aos custos da produção da safra seguintes, pois o que aconteceu foi o seguinte, os preços dos produtos de insumos não estavam parecidos com o aumento do dólar e o mercado e a super inflação do produto, e de fato está acontecendo, um exemplo e o preço do adubo que já subiu mais 50% e também nos fertilizantes, a dica que deixo é para  produtor  tentar fixar um preço antecipado  para compras de insumos e principalmente de fertilizantes onde os valores estão disparando “. Conclui.