TRAJETÓRIA DO COOOPERATIVISMO DE CRÉDITO E OS 40 ANOS DA SICREDI INTEGRAÇÃO ROTA DAS TERRAS RS/MG
22 fevereiro 2021 |
Compartilhe:

O cooperativismo surgiu na Europa, em 1844, como um modelo de organização para levar desenvolvimento econômico e social às pessoas e comunidades.

 

No Brasil, este empreendimento foi trazido pelo padre suíço Theodor Amstad, que em 1902, no município de Nova Petrópolis, Rio Grande do Sul, foi pioneiro na fundação da primeira cooperativa de crédito da América Latinha.

 

Desde lá, o cooperativismo vem crescendo e ganhando força.

 

O movimento de retomada do cooperativismo de crédito no Estado do Rio Grande do Sul teve iniciou em 1980, conduzido por lideranças do setor, como o então presidente da Fecotrigo, Sr. Mário Kruel Guimarães.

 

Contextualizando, as cooperativas de crédito foram fundadas por agricultores e pecuaristas, que viam a necessidade de se organizarem para viabilizarem suas atividades produtivas.

 

Assim, em 1981, surgiram inúmeras cooperativas de crédito no Rio Grande do Sul, entre elas a Credibá, Credisoja e Credicol.

Na época, os produtores percebiam a diminuição dos recursos oficiais para a sustentabilidade da agropecuária e projetaram, assim, uma forma de autossuficiência financeira para os empreendimentos, através da administração dos recursos gerados pelos próprios produtores e pelo setor primário. O objetivo era ter um suporte financeiro para fomentar a produção rural e sua circulação, além de prestação serviços específicos de instituição financeira.

 

A partir daquele momento, não foram medidos esforços para que essa ideia desse certo. Muito trabalho e dedicação por parte dos conselhos, das diretorias, dos colaboradores e associados, foram necessários para atingir os objetivos propostos. Quanto mais obstáculos surgiam, mais era à vontade e a firmeza em busca do ideal.

 

A autorização de funcionamento pelo Banco Central foi emitida em 1981, mas o atendimento aos associados iniciou, efetivamente, a partir de 1982 nos municípios de Ibirubá, Tapera e Colorado, junto as cooperativas de produção Cotribá, Cotrisoja e Cotrijal, que foram grandes parceiras e apoiadoras do cooperativismo de crédito.

 

Devido a rápida evolução e aumento do número de associados, as cooperativas ampliaram a sua rede atendimento para os municípios de Selbach, Lagoa dos Três Cantos, Quinze de Novembro e Distrito de Vista Alegre, em Colorado. O próximo passo foi a aquisição de sedes próprias, saindo dos espaços, gentilmente, cedidos pelas cooperativas de produção.

 

Com o crescimento da cooperativa, tornou-se necessário firmar um convênio de compensação, sendo realizado com o Banco Nacional de Crédito Cooperativo – BNCC, o qual era controlado pelo Governo Federal. Assim, foi possível o fornecimento de talonários de cheques aos associados e alguns produtos de captação.

 

Este convênio possibilitou a difusão do sistema até que, em 1990, o Governo extinguiu o BNCC o que acarretou grandes dificuldades ao cooperativismo de crédito. Então, a cooperativa teve que firmar um novo convênio, agora com o Banco do Brasil, para compensação de cheques.

 

Em 10 de julho de 1992, por decisão de todas as cooperativas filiadas, foi unificada a denominação (sigla) de COCECRER-RS e suas filiadas, passando a ser, respectivamente, Sicredi Central e Sicredi (acrescido de nome do município sede em representação ao Sistema de Crédito Cooperativo do RS). Assim, a Credibá passou a denominar-se Sicredi Ibirubá; a Credisoja passou a ser Sicredi Tapera; e a Credicol passou a se chamar Sicredi Colorado. Neste momento, as agências tiveram que passar por adequações devido a adoção da marca Sicredi.

 

Em 1995, autorizadas pelo Conselho Monetário Nacional, as cooperativas filiadas ao Sistema Sicredi constituíram o primeiro banco cooperativo do Brasil: Banco Cooperativo Sicredi. A sua criação se deu para dar suporte às operações e aos produtos e serviços do Sistema. Foi um momento marcante que trouxe reforço para o alicerce já construído em bases sólidas. As cooperativas de crédito tiveram um enorme ganho de qualidade, oferecendo aos associados todos os produtos e serviços disponíveis no mercado financeiro.

 

Em 1998, iniciaram as atividades do Programa de Educação Cooperativa A União Faz a Vida. Hoje, o programa está presente nos seis municípios da área de atuação da cooperativa no Estado do Rio Grande do Sul.

 

 

Entre os anos de 2002 e 2003 o país passou por inúmeras mudanças econômicas e sociais. A livre admissão de associados surgiu como um novo caminho para o cooperativismo de crédito brasileiro. Aprovada pelo Banco Central, através da Resolução 3.106/03, a livre admissão tornou as cooperativas de crédito acessíveis a todas as pessoas e ramos de atividades. Assim, em Assembleias Extraordinárias realizadas em agosto de 2003, as cooperativas de Ibirubá e Tapera se transformaram em Cooperativas de Crédito de Livre Admissão de Associados. Neste momento, houve regionalização do nome da cooperativa de Tapera para Sicredi Rota das Terras RS.

 

Para fortalecer o cooperativismo de crédito na região e ampliar o atendimento aos associados, iniciou-se o processo de união da Sicredi Colorado RS com a Sicredi Rota das Terras RS, que se efetivou, por decisão dos associados, no dia 03 de abril de 2006, durante a Assembleia Geral Extraordinária Conjunta realizada no Salão Paroquial de Selbach. A cooperativa permaneceu com o nome Sicredi Rota das Terras RS.

 

Em 2014, a Sicredi Rota das Terras RS e a Sicredi Ibirubá RS concretizaram a união das cooperativas em Assembleia Geral Extraordinária Conjunta realizada no dia 03 de novembro, adequando o Estatuto Social à nova Política de Governança Corporativa, com a implantação da Diretoria Executiva. Com a união, a cooperativa fez a alteração no nome para Sicredi Integração Rota das Terras RS e transformou a Unidade Regional de Desenvolvimento e Controle em Superintendência Regional. Neste ano, foram implantados os programas sociais Crescer e Pertencer.

 

O ano de 2017 foi marcado pela mudança da marca Sicredi. Desde então, as agências vêm passando por um processo de adequação das instalações físicas, atendendo o novo padrão ambiental do Sicredi.

 

Em 2018, tivemos dois fatos marcantes: a inauguração da agência Mauá, a segunda no município de Ibirubá, e a aprovação, pelos associados, do projeto expansão da cooperativa para a região noroeste do Estado de Minas Gerais, em Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 09 de julho. Assim, a cooperativa passou a ser Sicredi Integração Rota das Terras RS/MG.

 

O ano de 2019 foi de grandes transformações e conquistas. Criamos o Fundo Social para continuar apoiando projetos sociais, de interesse coletivo, voltadas à educação, cultura, esporte, meio-ambiente, saúde e segurança. Participamos da fundação da primeira cooperativa escolar na nossa área de atuação: a COOEPAZ – Cooperativa Escolar da Vila Paz, no município de Tapera/RS. E, no mês de setembro, começamos a escrever um novo capítulo da nossa história. No dia 20, inauguramos a nossa primeira agência em Minas Gerais, localizada no município de Patos de Minas, na Rua Olegário Maciel, 232, bairro Centro. Um importante passo para o crescimento e desenvolvimento sustentável da cooperativa e do Sistema Sicredi.

 

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia do Coronavírus. Mesmo num cenário de desafios e dificuldades, continuamos focados em nossos objetivos e em bem atender os nossos associados. Inauguramos mais duas agências em Minas Gerais, nos municípios de Lagoa Grande, no dia 30 de março, e Lagoa Formosa, em 31 de agosto.

 

SOBRE A COOPERATIVA

 

A Sicredi Integração Rota das Terras RS/MG faz parte do Sicredi, um Sistema formado por 108 cooperativas, que está presente em 23 estados brasileiros e no Distrito Federal, com 2.000 agências e mais de 4,9 milhões de associados.

 

Atuamos em seis municípios do estado do Rio Grande do Sul (Tapera, Ibirubá, Colorado, Selbach, Quinze de Novembro e Lagoa dos Três Cantos) e na região noroeste de Minas Gerais, onde já estamos presentes em três municípios (Patos de Minas, Lagoa Grande e Lagoa Formosa).

 

Contamos com 11 agências, uma Superintendência Regional, 150 colaboradores, 31 mil associados, mais de R$ 1,1 bilhão de ativos e R$ 224 milhões de patrimônio.