Ambiente
Um dia dedicado a falar das árvores
21 setembro 2021 | Ambiente
Compartilhe:

No dia 21 de setembro se comemora o dia da árvore! A comemoração é bem conhecida, mas você sabe o significado dela? A data coincide com o início da primavera e simboliza o renascimento da natureza após o inverno, sendo, portanto, comemorada em vários países em datas distintas de acordo com o clima local.

O dia da árvore foi instituído com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância delas no nosso meio. No Brasil a data comemorativa teve início no ano 1902 para chamar atenção sobretudo a dois eventos daquele contexto: o desmatamento das florestas em detrimento da expansão das plantações de café e a construção de ferrovias e uso de lenha para abastecer as locomotivas. Esse primeiro momento surgiu a partir da iniciativa de cientistas brasileiros e estrangeiros. No entanto, obteve-se pouco resultado, pois, na época, parecia sem sentido falar em problemas ambientais decorrentes do desmatamento com a exuberância das nossas florestas. Somente em 1965 é que foi instituído o dia 21 de setembro como o dia da árvore (Decreto nº 55.795 de 1965).

Mas por que um dia dedicado às árvores? Porque a árvore é um símbolo da natureza e uma importante riqueza natural. As árvores são fundamentais no ecossistema, pois servem de abrigo e alimento à fauna nativa; melhoram as condições de clima (aumentam a umidade do ar através da evapotranspiração, reduzem a oscilação de temperatura promovendo maior conforto térmico); produzem oxigênio (fotossíntese); filtram poluentes (melhoram qualidade do ar); protegem o solo da erosão; regulam o ciclo hidrológico (aumentando e melhorando a qualidade da água). E se estes benefícios ainda não são suficientes, as árvores apresentam importância econômica, pois fornecem produtos madeireiros, frutos, sementes, folhas, óleo essencial, etc. E a sombra, quem não valoriza uma boa sombra?

No Brasil o primeiro produto de exploração foi uma árvore, o pau-brasil que deu o nome ao nosso País. A espécie que outrora abundante encontra-se há muito tempo ameaçada de extinção, devido a sua exploração. A ameaça do pau-brasil impulsionou as leis de proteção às florestas, cuja exploração, a partir de 1825 passou a ocorrer mediante licença. E, a partir daí, alguns anos após foram criadas listas de espécies florestais (árvores) que não poderiam ser exploradas sem o consentimento do Estado (Coroa Brasileira). Nascendo, então, o termo “madeira de lei”.

Em razão de várias espécies de árvores com importância econômica estarem ameaçadas de extinção, algumas iniciativas são implementadas para a proteção das nossas florestas. Dentre essas iniciativas de resgatar a importância das árvores, o País, estados e alguns municípios instituíram árvores símbolo. A árvore símbolo do Brasil é o ipê-amarelo. Do Rio Grande do Sul é a erva-mate. Assim como o Brasil recebeu esse nome a partir de uma árvore, nosso município chama-se Ibirubá, cujo nome representa, em Tupi-Guarani, pitangueira do mato. E dessa forma, podemos citar várias outras árvores que denominaram ou são consagradas símbolo de cidades.

Além de todos os aspectos já citados sobre a importância das árvores, elas também são símbolos de contemplação, brincadeiras, lazer, etc. Você guarda lembranças da infância subindo em árvores ou fazendo brincadeira à sombra de alguma árvore? Então o que falta para dedicarmos um pouco de cuidado e valorização as nossas árvores?

Autora:

Suzana Ferreira da Rosa, Doutora em Engenharia Floresta, Professora de Silvicultura e Produção Florestal do Curso de Agronomia do IFRS Campus Ibirubá.

Contato: [email protected]